terça-feira, 22 de abril de 2014

REJEIÇÃO DE HENRIQUE ALVES PODE DESMORONAR O ACORDÃO.

Recentemente foram feitas alguns levantamentos (Pesquisas) no estado do Rio Grande do Norte, claro que as duas são instrumentos de trabalhos internos, Não existe nenhum registro de divulgação de pesquisas em território potiguar. No entanto, através de alguns assessores e deputados este números findam vazando, sendo divulgado boca a boca, cada qual dizendo números diferentes de acordo com seus interesses.

Um deputado da região oeste, muito conhecido pelas suas habilidades utópicas disse numa roda de conversa com vários espectadores: “Num adianta, vou mentir pra vocês pra que... Henrique lidera com facilidade, ganha de todo mundo”. Um aliado voando no assunto emendou: “A rejeição deste homem é tão grande assim, Deputado?”. Isso, foi uma ilustração, apesar da veracidade da conversa.

O nome de Henrique não decola na região, é pesado, não tem dimensão e nem simpatia popular, é rejeitado em todas as rodas de conversas, o povo quer distancia, não confia e nem acredita no nome do deputado.

Acreditem é surpreendente “O nome de Henrique Alves hoje na disputa pelo governo, perde até para a governadora Rosalba”. 
http://blogdafolharegional.blogspot.com.br/

Rosalba rasgou: “ex-aliados só romperam com o governo diante da falta de oportunidade de roubar o erário público”

Rosalba botou pra quebrar nos bacuraus
A governadora Rosalba Ciarlini não tem brincado em serviço, ela agora resolveu falar sobre seus ex-aliados..

Perguntada porquê tinha perdido tantos aliados no último ano de governo Rosalba disse sem tergiversar que muitos dos que deixaram o seu governo foi porque não tiveram oportunidade de dilapidar e roubar o erário público..

Essa declaração de Rosalba dada a sua rede de rádios veiculadas a RPC de Mossoró, caiu como uma bomba..

Os Alves ficaram mal na fita… (Henrique e Garibaldi)
Fonte: Blog do Primo.

Após 10 horas de paralisação, PMs e bombeiros decidem voltar a trabalhar

Categorias decidiram encerrar paralisação após garantias do governo.
Policiais militares e bombeiros estavam parados desde as 7h desta terça.

PMs e bombeiros decidiram encerrar greve após assembleia no Centro Administrativo do RN (Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi)
PMs e bombeiros decidiram encerrar greve após assembleia (Foto: Kléber Teixeira/Inter TV Cabugi)

Durou 10 horas a paralisação conjunta feita pela Polícia Militar e Corpo de Bombeiros no Rio Grande do Norte. Durante reunião com a cúpula da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Sesed) e Procuradoria-Geral do Estado, as associações que representam as duas categorias retornaram ao trabalho após receberem garantias de que a Lei de Promoção de Praças será enviada até o dia 1º de maio. Uma nova reunião também foi agendada para discutir outras reivindicações. Os bombeiros e policiais, acampados desde os primeiros dias do mês no Centro Administrativo do Estado, em Natal, também prometeram desocupar o local. A volta ao trabalho é imediata.

O comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo Silva, durante as 10 horas em que os policiais e bombeiros estiveram parados, nenhuma ocorrência de maior gravidade foi registrada.

reunião. Apesar da decisão de encerrar a greve, o presidente da Associação dos Cabos e Soldados da PM, soldado Roberto Campos, disse que o Governo do Estado mais uma vez não apresentou nenhum posicionamento concreto sobre a pauta das categorias. “Apenas nos foi informado que o projeto da Lei de Promoção de Praças deverá ser enviado para a Assembleia Legislativa até o dia 30. Ou seja, mais uma vez saímos sem uma definição para nossa luta”, comenta.
O procurador-geral do Estado, Miguel Josino, explica que foi apresentado um cronograma para cumprimento das principais reivindicações dos militares. "Apresentamos tudo aquilo que o secretário havia anunciado. A Lei de Promoções de Praças irá para Assembleia Legislativa até 1º de maio. Faremos o pagamento imediato das férias e montaremos uma comissão para dar andamento aos processos que tratam da promoção de policiais. O diálogo prevaleceu", destaca.

Policiais militares e bombeiros do RN fizeram paralisação nesta terça-feira (22) (Foto: Sérgio Costa)
Policiais militares e bombeiros fizeramparalisação nesta terça (Foto: Sérgio Costa/G1)
No entendimento do secretário de Segurança Pública, Eliéser Girão, a greve foi decretada de forma unilateral. "Sábado apresentamos a nossa proposta e atualmente praticamente repetimos. Fiz o que podia e nos disseram que estavam satisfeitos. Acabaram decretando a greve de forma unilateral, sem comunicar previamente", diz o titular da Sesed.
Além da Lei de Promoção dos Praças, os militares fizeram outras dez reivindicações. São elas o reajuste de 56,7% do Subsídio e a inclusão da database ao texto da lei; devido enquadramento dos níveis remuneratórios; pagamento das férias; integralização dos vencimentos dos que foram promovidos e ainda não recebem de acordo com a graduação; revisão da lei e reajuste da Diária Operacional; admissão de etapa alimentação como verba indenizatória; revisão do estatuto da Polícia Militar (carga horária); substituição do RDPM pelo Código de Ética; complementação dos efetivos de acordo com o previsto nas leis de fixação do efetivo e convocação dos 624 suplentes; e assistência à saúde psíquica do PM e do BM.
O movimento, segundo as associações, contou com a adesão de 90% dos efetivos, incluindo participação de maioria dos oficiais.


“Wilma de Faria é a prefeita de Natal e tem que renunciar para não ficar inelegível”

Erick Pereira afirma que vice-prefeita está, de direito, na chefia do Executivo e não pode recursar condição

7IIUR6TU4578567457Y457
Repórter de Política

Pré-candidata a senadora, Wilma de Faria, do PSB, é hoje a prefeita de Natal. E quem afirma isso não são vereadores de oposição – que poderiam ser acusados de interesses eleitorais diversos. Quem confirma esse entendimento é o advogado Erick Pereira, doutor em Direito Constitucional e mestre em Direito Eleitoral. Para ele, a cidade não pode ficar sem prefeito e Wilma não tem a opção de não assumir o cargo sem um motivo plausível. O problema é que, estando no poder, ela está automaticamente inelegível.
“Wilma é hoje a prefeita de direito de Natal, a menos que ela tenha comunicado a Câmara que não pode assumir a Prefeitura. Se tiver comunicado, segue a ordem natural da sucessão”, analisou Erick Pereira, ressaltando que, porém, há uma diferença entre ser “prefeita de direito” e “de fato”. “Ela é prefeita de direito, mas resta saber se ela é de fato, se ela assinou algum ato e confirmou essa condição. Se tiver assinado, ficará inelegível”, explicou Erick Pereira.
Então, isso quer dizer que Wilma pode passar esses quatro dias úteis que o prefeito Carlos Eduardo Alves, do PDT, não estará em Natal, sem assinar qualquer ato e, consequentemente, não se tornar prefeita “de fato”, correto? Nada disso. “Ela não pode se recusar a assinar atos. Ela não tem discricionariedade. Estando no cargo, ela não pode se eximir de assinar atos, porque isso seria uma fraude a Lei”, analisou o especialista.
Dessa forma, restaria para Wilma dois caminhos: apresentar uma boa justificativa que a permita continuar como vice-prefeita de Natal mas, assim como Carlos Eduardo, está afastada da Prefeitura; ou renunciar ao cargo. “Ela não pode, simplesmente, dizer que não vai assumir. Tem que justificar o porquê. Justificar ou renunciar ao cargo. Ela é obrigada a comunicar à Câmara ou a praticar os atos de prefeito”, reformou Erick Pereira.

ENTENDIMENTO ERRADO

A análise de Erick Pereira é importante porque está havendo, desde que o prefeito viajou para a Espanha, uma grande dúvida em torno do assunto. Wilma e os advogados dela, por exemplo, entendem que ela só assumiria a Prefeitura de Natal se o afastamento do prefeito fosse superior a 30 dias. Os vereadores de oposição acreditam que ela seja a prefeita porque, na Lei Orgânica do Município, há apenas um artigo dizendo que o vice-prefeito assume no afastamento do prefeito, seja lá por quantos dias for. Ou seja: Wilma seria a prefeita se Carlos Eduardo passasse um dia fora, assim como ela é a prefeita nessa viagem de 12 dias de Carlos Eduardo.
“A substituição é automática e segue a ordem natural de sucessão”, afirmou Erick Pereira, reforçando a tese defendida pelos vereadores de oposição a gestão municipal. “Acredito que, na verdade, os advogados dela informaram que é necessário o comunicado à Câmara que não pode assumir e isso deverá ser feito”, afirmou Erick Pereira.
O problema é que, na semana passada, Wilma demonstrava um entendimento bem diferente. Baseada na análise do advogado Luciano Braz, a vice-prefeita afirmou que Carlos Eduardo era o prefeito, mesmo estando, por 12 dias a um oceano de Natal. “Na verdade, Carlos Eduardo saiu do País e comunicou a Câmara Municipal de Natal. Ele tem direito em relação a esse afastamento, mas fica até 30 dias de acordo com a Lei Orgânica do município. Ele está em pleno exercício do cargo, está como prefeito hoje, não tem ninguém substituindo”, afirmou Wilma de Faria.
Segundo a vice-prefeita, se houvesse algo inesperado que demandasse a manifestação da chefia do Executivo, a Câmara é quem responderia pela situação. “Ele vai estar durante esses 12 dias, são apenas quatro dias úteis e uma necessidade a Câmara toma as devidas providências”, afirmou.
É importante lembrar que, atualmente, em Natal há três categorias em greve: os servidores da educação, da saúde e aqueles ligados ao Sindicato Sinsenat. Além disso, na semana passada, a Prefeitura perdeu na Justiça o pedido que fez de ilegalidade do movimento paredista, sendo obrigado a negociar com os grevistas.
Por outro lado, ressalta-se que, se Wilma não pode assumir, correndo o risco de ficar inelegível, o presidente da Câmara, Albert Dickson, do PROS, segundo na linha sucessória, também não. Ele é pré-candidato a deputado estadual. O vice-presidente da Casa, Júlio Protásio, do PSB, está de licença médica, o que faria a Prefeitura cair no colo do primeiro secretário, o vereador Dickson Nasser Júnior, do PSDB.

Militares em greve podem ser presos, diz procurador geral do RN

G1/RN – Os policiais militares e bombeiros do RN que se recusarem a trabalhar, aderindo à paralisação proposta pela categoria nesta terça-feira (22), podem ser presos, segundo o procurador geral do Estado, Miguel Josino. Os servidores seguem acampados em frente à Governadoria pleiteando melhorias trabalhistas.
De acordo com Miguel Josino, os que estiverem de serviço e se recusarem a trabalhar serão submetidos ao regulamento disciplinar das corporações. “O regulamento prevê a perda de salário, prisão e até submissão à perda do cargo”, detalhou o procurador.
Josino diz ainda que a Procuradoria Geral está constantemente em contato com a Secretaria de Segurança Nacional. Isto para informar sobre o que está acontecendo nas movimentações no Rio Grande do Norte e tirar dúvidas a respeito dos procedimentos a serem adotados pelo Estado. “Falamos com eles de hora em hora. As medidas a serem tomadas são essas mesmo. O ministro da Justiça [José Eduardo Cardoso], inclusive, disse que desta vez não haverá anistia para os punidos”, corroborou.

Com faixas em inglês, PMs afirmam que não terá policiamento na Copa

Policiais Militares do RN fazem protesto nesta terça (22) (Foto: Sérgio Costa)

Policiais militares do RN iniciaram paralisação nesta terça-feira (22).
Categoria está acampada no Centro Administrativo do Estado.
Com faixas em mãos, PMs do RN dizem que se não houver promoção dos praças não haverá policiamento na Copa (Foto: Sérgio Costa)
Com faixas em mãos, PMs do RN dizem que se não houver promoção dos praças não haverá policiamento na Copa (Foto: Sérgio Costa)
Com faixas em inglês, policiais militares do Rio Grande do Norte anunciaram que se não houver promoção dos praças, não haverá efetivo para garantir a segurança durante os jogos da Copa do Mundo em Natal. "Without promotion law, without military police in world cup", diz a faixa. Os policiais e Corpo de Bombeiros  iniciaram uma paralisação nesta terça-feira (22) e estão acampados no Centro Administrativo do Estado desde o dia 8 deste mês.
Além de melhorias estruturais, os militares exigem o envio da Lei de Promoções de Praças para a Assembleia Legislativa e os bombeiros ainda cobram a abertura de concurso público. Uma assembleia deve acontecer até o final da manhã desta terça-feira (22), quando será decidido pelo fim ou manutenção da paralisação.
Segundo o secretário estadual da Segurança Pública Eliéser Girão, o governo garantiu o envio da referida lei para a Assembleia Legislativa até o dia 1º de maio. O Projeto de Lei, ainda de acordo com o secretário, está em análise na Casa Civil e deve ser encaminhado para a Consultoria Geral do Estado ainda nesta terça, o que também deve acontecer com um projeto para majoração da diária operacional da PM, a autorização para concurso público do Corpo de Bombeiros e a Lei de Segurança e Combate a Incêndio e Pânico.
Policiais Militares do RN fazem protesto nesta terça (22) (Foto: Sérgio Costa)
Policiais Militares do RN fazem protesto nesta terça (22) (Foto: Sérgio Costa)

Paralisação de PMs e bombeiros tem adesão de 90%, diz associação

PMs e bombeiros segue ocupando Centro Administrativo do RN (Foto: Arthur Barbalho/G1)

A paralisação dos policiais e bombeiros militares do RN tem adesão de 90% da categoria, segundo confirmou nesta terça-feira (22) Eliabe Marques, presidente da Associação dos Sargentos e Suboficiais da PM. O G1 entrou em contato com a Secretaria de Segurança para saber sobre o levantamento da pasta acerca da adesão, mas a assessoria de imprensa pediu para que a reportagem contatasse os comandos das duas corporações. Nenhum dos comandantes atendeu aos telefonemas.

Representantes dos manifestantes e do Estado se reúnem nesta manhã na sede da Procuradoria Geral do Estado, em Petrópolis, zona Leste da capital, para tentar chegar a um acordo (veja vídeo ao lado).
As duas categorias estão acampadas no Centro Administrativo do Estado, em Natal, e decidiram permanecer no local até que o governo do estado garanta o cumprimento das reivindicações. Parte dos oficiais das duas corporações aderiu ao movimento 
Além de melhorias estruturais, os militares exigem o envio da Lei de Promoções de Praças para a Assembleia Legislativa e os bombeiros ainda cobram a abertura de concurso público.
De acordo com o procurador geral do Estado, Miguel Josino, os servidores que se recusarem a trabalhar, aderindo à paralisação proposta pela categoria, podem ser presos. De acordo com Josino, os que estiverem de serviço e se recusarem a trabalhar serão submetidos ao regulamento disciplinar das corporações. “O regulamento prevê a perda de salário, prisão e até submissão à perda do cargo”, detalhou o procurador. Entretanto, não há registro de prisões.
Josino diz ainda que a Procuradoria Geral está constantemente em contato com a Secretaria de Segurança Nacional. Isto para informar sobre o que está acontecendo nas movimentações no Rio Grande do Norte e tirar dúvidas a respeito dos procedimentos a serem adotados pelo Estado. “Falamos com eles de hora em hora. As medidas a serem tomadas são essas mesmo. O ministro da Justiça (José Eduardo Cardoso), inclusive, disse que desta vez não haverá anistia para os punidos”, corroborou.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

CORRUPTOS SÃO APENAS 0,1% DOS DETENTOS NO BRASIL.

Mesmo com o crescimento no número de prisões nos últimos anos, os detentos por desvio de dinheiro no Brasil ainda representam apenas 0,1% da população carcerária.

Anões do Orçamento, mensalão, lava a jato, sanguessuga, máfia dos cartéis, entre tantos outros escândalos de desvio do dinheiro público para bolsos privados, fazem parte da história política recente do Brasil. Tão enraizada quanto a prática desse tipo de delito no país, a impunidade dos autores começa, ainda que timidamente, a cair. O número de presos por corrupção ativa e passiva, que se mantinha estável, subiu 40% no período de um ano, segundo dados do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). Passou de 697, em junho de 2012, para 977 detentos, no mesmo período de 2013 – base oficial mais recente. Em termos absolutos, entretanto, os menos de mil presos em todo o sistema penitenciário brasileiro representam apenas 0,1% da população prisional atual.
Para especialistas, o aumento no número de condenações por corrupção tem duas explicações. A mais objetiva delas é a cobrança permanente do Conselho Nacional de Justiça (CNJ) para que os tribunais agilizem ações penais relacionadas a crimes contra a administração pública, entre eles a corrupção. O outro motivo seria a própria percepção da sociedade. “A gravidade desse tipo de delito se tornou mais visível. E isso leva a pressões. A decisão do CNJ de estipular meta para o julgamento desses processos, especificamente, deve ser entendida como uma resposta do Poder Judiciário, já que o tema se tornou sensível para a população”, explica o juiz Marlon Reis, um dos fundadores do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE).
Na força-tarefa empreendida pelo CNJ, a meta era zerar, no final de 2013, o estoque de 3.990 ações penais de crimes contra a administração pública iniciadas até 2011. Magistrados de todas as instâncias – exceto os do Supremo Tribunal Federal, que não se submetem à regra – conseguiram dar sentença em 90,5% do total de casos. Não há dados sobre a quantidade de processos iniciados de 2012 em diante ainda por julgar. De qualquer forma, o CNJ continua exigindo celeridade das comarcas. “Antes da meta, os juízes eram cobrados por números gerais. E como esses processos são mais complexos tecnicamente, eles acabavam se acumulando. Dava-se prioridade para outros”, explica Marlon.
A complexidade das ações aliada à morosidade do Judiciário atrasam o julgamento, na avaliação de Claudio Weber Abramo. Diretor-executivo da organização Transparência Brasil, de combate à corrupção, ele chama atenção para o fato de que os réus, nesses casos, quase sempre dispõem de uma boa defesa. “São pessoas que podem pagar advogados, então essas ações se arrastam por muito tempo”, destaca Abramo. Devido ao tempo prolongado de um acusado formalmente chegar à cadeia, ele não vê relação entre o aumento de punições e a política recente de transparência de dados públicos, como a Lei de Acesso à Informação. “Esses presos de hoje praticaram o crime antes desses recursos disponíveis para a sociedade”, diz.

PARA LER A MATÉRIA COMPLETA, CLIQUE AQUI 

Fonte: Renata Mariz/http://www.em.com.br/

Naquela cela está faltando ele

Com uma frase enganosa, e certamente errada, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva externou solidariedade aos criminosos de seu grupo íntimo que foram condenados no processo do mensalão e levados para o merecido lugar: a cadeia. Vários jornais publicam na primeira página que Lula ligou para esses aliados, no momento em que eram conduzidos ao cárcere, e afirmou: "Estamos juntos". A frase é mentirosa e está errada porque, se fosse prevalecer a verdade, certamente seria: "Deveríamos estar juntos".
Quando teve início a Ação Penal 470, e dinheiro público era desviado debaixo do nariz do ex-presidente para comprar apoio político no Congresso Nacional e também para outras finalidades ainda piores, ele procurou difundir a versão de que não sabia de nada, não viu nada. Esses desvios de milhões, conforme ficou claro no processo do mensalão, eram praticados por pessoas de seu círculo íntimo, que entravam e saíam de seu gabinete a toda hora, sem ao menos ter de pedir licença. Eram o seu chefe da Casa Civil, José Dirceu, o presidente do PT, José Genoino, o tesoureiro do partido, Delúbio Soares, e outros.
Como o grupo tinha gabinete ao lado de Lula, naquele lugar preservado e íntimo, só uma pessoa acreditou que o ex-presidente não sabia de nada, não viu nada: o então procurador-geral da República. Apesar das evidências e do que diz a legislação penal, ele praticamente absolveu Lula (ato que é privativo do Judiciário) e o deixou de fora do processo.
Artigo de Aloísio de Toledo César, desembargador aposentado do TJ São Paulo, publicado no Estadão

O que trama o PT?

Ao longo de 10 anos, boa parte da militância petista aprendeu a desfrutar das benesses do poder e hoje reage ferozmente a qualquer ameaça de ter que largar o osso. São os oportunistas que tomaram conta do aparelho estatal em todos os níveis e a ele dedicam todo seu despreparo e incompetência gerencial
O manifesto petista divulgado na terça-feira, que classifica de "ilegal" a decisão do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, de mandar recolher à prisão 12 dos condenados no processo do mensalão, afirma que "uma parcela significativa da sociedade" teme "pelo futuro do Estado Democrático de Direito no Brasil". Têm razão os signatários do documento.
O Estado de Direito está real e gravemente ameaçado no Brasil, mas pelos sectários, pelos oportunistas fisiológicos e pelos inocentes úteis do PT que, por razões diversas, se empenham numa campanha nacional de desmoralização do Poder Judiciário, ferindo fundo a estabilidade institucional e colocando em risco, em benefício da hegemonia política do partido, o futuro da democracia no País.
O tal manifesto não é um documento oficial do PT. Mero detalhe. As posições "oficiais" do partido, ditadas pelo pragmatismo eleitoral, são traduzidas pela linguagem melíflua das notas oficiais, hábeis em camuflar o verdadeiro pensamento da elite petista. Mas esse pensamento está explicitado no manifesto de terça-feira, que tenta em vão dissimular seu caráter eminentemente político-partidário com a adesão de "companheiros" intelectuais e juristas. Mas assinam a nota o presidente Rui Falcão e todos os demais integrantes do Diretório Nacional do partido. Está ali, portanto, o que pensa o PT.
Da mesma forma como ataca sistematicamente a imprensa, ao investir contra o Poder Judiciário, lançando mão do recurso de demonizar a figura do ministro Joaquim Barbosa, o PT deixa claro o modelo de "democracia" que almeja: aquele em que ninguém ousa contrariar suas convicções e seus interesses nos meios de comunicação, na aplicação da Justiça, na atividade econômico-financeira. Em todas as atividades, enfim, em que entendem que o Estado deve dar sempre a primeira e a última palavra, para promover e proteger os interesses "do povo".
Para visualizar esse modelo dos sonhos dos petistas radicais sem ir muito longe, basta olhar para a Venezuela e demais regimes "bolivarianos" da América Latina, sem falar no clássico exemplo da ilha dos Castros. Esses países, em que vigora o "socialismo do século 21", são comandados pelos verdadeiros amigos do peito e de fé de Lula, Dilma e companheirada.
Mas nem todo mundo no PT está preocupado com dogmatismo ideológico. Ao longo de 10 anos, boa parte da militância petista aprendeu a desfrutar das benesses do poder e hoje reage ferozmente a qualquer ameaça de ter que largar o osso. São os oportunistas que tomaram conta do aparelho estatal em todos os níveis e a ele dedicam todo seu despreparo e incompetência gerencial.
E existem ainda os inocentes úteis, em geral mal informados e despolitizados, que engrossam as fileiras de uma militância que comprou a ideia-força lulopetista de que o mundo está dividido entre o Bem e o Mal e quem está "do outro lado" é um "inimigo" a ser ferozmente dizimado. As redes sociais na internet são o ambiente em que melhor prospera esse maniqueísmo de esgoto.
O que pretende esse amplo e variado arco de dirigentes e militantes petistas que, a pretexto de se solidarizarem com os condenados do mensalão, se mostram cada vez mais ousados em suas investidas contra o Poder Judiciário? O País tem estabilidade institucional suficiente para impedir que, num golpe de mão ou num passe de mágica, a condenação dos mensaleiros seja anulada. Mas os radicais sabem que para alcançar seus objetivos precisam criar e explorar vulnerabilidades na estrutura institucional de nossa democracia. Os oportunistas sabem que precisam ficar bem com os donos do poder a que aderiram. E os inocentes úteis não sabem nada. Agem por impulso, movidos por apelos emocionais. Acreditam até no argumento falacioso de que é preciso ser tolerante com a corrupção e os corruptos porque sem eles é impossível governar.
A quem não entra nessa lista resta comemorar, enquanto pode, uma singela obviedade: feliz é o país em que a Justiça pode contrariar os interesses dos poderosos de turno.
Editorial do Estadão

domingo, 20 de abril de 2014

ENSINO PÚBLICO TEM FALTA DE MATERIAL; TRANSPORTE E ATÉ ÁGUA.

Os alunos das escolas públicas brasileiras estão enfrentando muitas dificuldades no ensino, seja por falta de material, de transporte ou até pelas condições que enfrentam nas escolas. Muitas não têm como receber alunos, mas continuam funcionando. Veja abaixo alguns exemplos dos problemas que os estudantes brasileiros estão passando pelo país:
Escola sofre sem material de limpeza, ventilador e até água no Pernambuco
No local, há mofo nas paredes e fios elétricos expostos. O bebedouro está quebrado, mas também não há água.
Detran reprova 97% dos ônibus escolares do Rio Grande do Norte
Ônibus superlotados andam com crianças sem cinto de segurança ou até em pé. Eles têm pneus carecas, janelas sem vidros e falta de acessibilidade.
Material didático chega a escolas públicas de MG com atraso e erros
Aulas começaram em fevereiro, mas cadernos só foram entregues pela prefeitura em abril. Na contracapa, letra do hino apresenta vários erros de digitação.
Estudantes são transportados em carrocerias adaptadas no Piauí
Apesar de 70% dos municípios já serem beneficiados com programa de renovação da frota de veículos escolares, total de ônibus é insuficiente.

CLIQUE AQUI E VEJA OS VÍDEOS COM ESSAS MATÉRIAS.

Ex-presidente da Petrobras diz que “Dilma não pode fugir à responsabilidade”

sergio gabrielli
Presidente da Petrobrás quando foi efetivada a compra da refinaria de Pasadena, nos EUA, José Sérgio Gabrielli atribuiu à presidente Dilma Rousseff, à época à frente do Conselho de Administração da estatal, parte da responsabilidade pelo polêmico negócio. Em entrevista ao Estado de São Paulo, ele disse ser “o responsável”, já que era o presidente da empresa, mas dividiu o ônus com Dilma que, para ele, por presidir o conselho, “não pode fugir à responsabilidade dela”.
Gabrielli diz que o resumo executivo em que o conselho baseou sua decisão sobre a compra foi “omisso”, mas que isso não foi relevante para a decisão. Para ele, a queda do preço das ações da Petrobras se deve à conjuntura externa e “à manutenção artificial dos preços da gasolina no Brasil, abaixo do mercado internacional”.

sexta-feira, 18 de abril de 2014

PENSANDO BEM...

“Não rejeites com o pé a canoa que te permitiu atravessar o rio.”Provérbio Africano

PETROBRAS

Assessor de Garibaldi pede exoneração após escândalo


O jornalista José Wilder, amigo de longas datas do senador licenciado e ministro da Previdência Social, Garibaldi Filho (PMDB), pediu exoneração do cargo que detinha em sua equipe ministerial.
Segundo foi noticiado hoje à noite pelo Jornal Nacional, da Rede Globo de Televisão, Wilder justificou a decisão, para evitar qualquer relação de prejuízo à imagem do ministro.
Afirmou, em justificativa, lida pelo âncora William Bonner, que “sai para se defender e afastar Garibaldi de qualquer ilação indevida”.
Petrobras
Assessor especial de Garibaldi Filho, com passagem também por assessoria no Senado e no Governo do Estado, Wilder entrou no redemoinho dos escândalos envolvendo a Petrobras.
A revista Veja, em recente reportagem, sob o título “O Clube dos Corruptos”, lista o jornalista e amigo desde a infância, de Garibaldi, como um dos beneficiários do doleiro Alberto Youssef e do ex-diretor da estatal, Paulo Roberto Costa.
Ambos foram presos por lavagem de dinheiro.
A Veja garante que José Wilder socou R$ 20 mil no bolso.http://blogcarlossantos.com.br/

PT decide comprar briga contra Henrique Alves

henrique jardimJosias de Souza As relações entre os dois maiores partidos do bloco de apoio a Dilma Rousseff voltarão a azedar nos próximos dias. Sob a voz de comando do seu presidente, Rui Falcão, o PT decidiu pegar em lanças para melar um plano do presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB).
Em combinação com líderes de partidos governistas e oposicionistas, Henrique decidiu pautar para a primeira quinzena de maio, provavelmente no dia 13, a votação da proposta de emenda à Constituição da reforma política. Em articulação comandada por Falcão, a bancada petista da Câmara tentará impedir.
O petismo enrolou-se em duas bandeiras que lhes são caras:o financiamento público de campanha e a realização de um plebiscito sobre a matéria. A proposta que Henrique quer votar institui um modelo híbrido de custeio das campanhas, com verbas públicas e privadas. Em vez de plebiscito, prevê a convocação de um referendo.
O plebiscito e o referendo são mecanismos de democracia direta. Permitem convocar os eleitores para se pronunciar sobre temas específicos. A diferença entre um e outro é que, no caso do plebiscito, o povo é chamado a opinar antes da deliberação do Legislativo. Já o referendo é convocado depois da votação de determinada proposta, cabendo à sociedade ratificá-la ou não.

Desaprovação a Dilma sobe de 43% para 48%

A desaprovação à maneira de governar da presidente Dilma Rousseff subiu de 43 por cento em março para 48por cento em abril, enquanto a avaliação positiva do governo passou de 36 por cento para 34 por cento, de acordo com pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira.
O levantamento, publicado pelo portal de notícias G1, aponta também que a aprovação à maneira de governar de Dilma caiu de 51 por cento para 47 por cento. Desde dezembro de 2013, a aprovação ao governo Dilma caiu 9 pontos, de acordo com o G1, passando de 43 por cento para os atuais 34 por cento.

Bahia

PF prende vereador líder de greve da PM na Bahia

Marco Prisco é detido em resort na Costa do Sauípe e levado para a Papuda, em Brasília. Policiais ameaçam nova paralisação até que tucano seja solto

Marco Prisco, líder da greve da PM na Bahia, é detido pela PF e levado para a Papuda
Marco Prisco, líder da greve da PM na Bahia, é detido pela PF e levado para a Papuda (Lúcio Távora/Ag. A Tarde/Futura Press)
A Polícia Federal prendeu nesta sexta-feira o vereador tucano Marco Prisco, líder dos policiais militares grevistas na Bahia. Prisco foi detido em um resort na Costa do Sauípe, litoral baiano. O parlamentar foi transferido imediatamente para o Complexo da Papuda, em Brasília. Além de vereador em Salvador, Prisco é diretor-geral da Associação de Policiais e Bombeiros da Bahia (Aspra), uma das entidades que organizaram as paralisações da PM neste ano e em 2012 – após a qual Prisco se elegeu. Policiais agora ameaçam retomar a paralisação que havia sido encerrada nesta quinta-feira, após acordo com o governo estadual.
A pedido do Ministério Público Federal (MPF), o juiz Antônio Oswaldo Scarpa, da 17ª Vara Federal em Salvador, expediu o mandado de prisão preventiva contra Prisco no dia 15 de abril – antes, portanto, de os praças da PM firmarem acordo com o governo Jaques Wagner (PT) para dar fim à greve. Em nota, o MPF afirmou que o objetivo da prisão preventiva de Prisco é "garantir a ordem pública". Ele é réu, desde o ano passado, em ação penal por formação de quadrilha armada e crime contra a Segurança Nacional.
O MPF denunciou Prisco e outros seis militares (entre soldados e cabos), em abril de 2013, por crimes cometidos durante a greve de 2012, às vésperas do Carnaval. Segundo os procuradores, Prisco ganhou notoriedade e obteve benefícios eleitorais com a greve de 2012. Ele havia se candidatado a deputado estadual em 2010 pelo PTC, mas não conseguiu se eleger.

Prejuízo de empresas de Eike Batista atinge R$ 23,4 bilhões em 2013

Valor é quase dez vezes maior que as perdas do ano retrasado; antiga OGX responde por mais de 70% do rombo


Com a divulgação do balanço da OSX, nesta quinta-feira 17, já é possível ter uma dimensão mais precisa da derrocada do empresário Eike Batista, no ano passado. Em 2013, as empresas ainda controladas ou criadas por ele somaram um prejuízo de R$ 23,435 bilhões. O valor é quase dez vezes superior às perdas do ano retrasado: R$ 2,476 bilhões.

A conta considera o prejuízo líquido consolidado atribuído aos controladores de seis empresas listadas em bolsa: a petroleira OGX, atual Óleo e Gás Participações (OGPar); a companhia de serviços navais OSX; a mineradora MMX; todas ainda controladas por Eike. Também entraram na conta as companhias criadas pelo empresário, mas cujo controle já foi vendido: a Eneva (ex-MPX, focada em energia, assumida pela alemã E.ON em controle compartilhado com Eike), a Prumo (ex-LLX, de logística, hoje controlada pela americana AIG), e a CCX (cujos ativos de carvão na Colômbia foram vendidos para a empresa turca Yildirim).


eike1.jpg

Eike Batista: as empresas que ainda controla ou que fundou enfrentam pesados prejuízos


O perfil desse prejuízo também ajuda a contar a história da implosão do Grupo EBX. A OGX respondeu por 74% das perdas, ante 46% no ano retrasado. Os R$ 17,4 bilhões representam o maior prejuízo já sofrido por uma companhia brasileira. Até 2012, a petroleira era vista como a principal empresa de Eike, que a apresentava como uma “mini Petrobras”. Naquele ano, a companhia registrou um prejuízo de R$ 1,139 bilhão. O resultado foi apresentado pela diretoria da OGX como natural, já que a empresa ainda se encontrava em fase de investimentos, e, portanto, os desembolsos superariam as receitas.

Início do fim

Em meados de 2013, porém, a OGX foi o estopim da crise que varreu as empresas de Eike, ao reduzir as estimativas de produção do Campo de Tubarão Azul, sua principal aposta, de 20.000 para 5.000 barris diários. A notícia teve três efeitos concretos. O primeiro foi derrubar o valor de mercado da OGX. O segundo foi afugentar as linhas de crédito – algo crucial para uma companhia que ainda precisava investir bilhões para concluir seu plano de negócios. O terceiro foi contaminar as demais companhias de Eike, que também sofreram com o estrangulamento do crédito e com a desconfiança dos investidores.

Com o caixa queimando e sem acesso a fontes de capital, a OGX foi estrangulada até recorrer à recuperação judicial, no fim do ano passado. Semanas depois, a OSX, criada por Eike para construir e operar as plataformas de petróleo da OGX, também foi arrastada para a proteção da Lei de Falências.

Não é por acaso que a OSX apresentou o segundo maior prejuízo do Grupo EBX: R$ 2,311 bilhões. O que pesou nessa conta foi a necessidade de reconhecer as perdas com investimentos que não serão realizados e nem gerarão receitas (a chamada baixa contábil, ou impairment, no jargão em inglês). O motivo foi o cancelamento, pela OGX, de plataformas que havia encomendado para continuar sua campanha exploratória.

Descontando o prejuízo da OGX, o total de perdas das empresas ainda controladas ou fundadas por Eike, no ano passado, ficaria em R$ 6 bilhões – ou apenas 25% do total. Em 2012, descontada a perda com a petroleira, o prejuízo do grupo ficaria em R$ 1,3 bilhão, ou 54% do total daquele ano – o que mostra o quanto a OGX realmente pesou nas contas de Eike.

Fonte:http://www.istoedinheiro.com.br/noticias/144208_PREJUIZO+DE+EMPRESAS+DE+EIKE+BATISTA+ATINGE+R+234+BILHOES+EM+2013
Saúde e Informação em 1º lugar. 

Diferença entre Mosquitos:
Culex sp e Aedes aegypti

Culex sp
PERNILONGO

COMO IDENTIFICAR 
Culex sp é um mosquito pequeno que tem cor de palha podendo apresentar algumas manchas brancas nas pernas. Suas asas não possuem manchas e o seu dorso é pardo-escuro com escamas amarelas.



RISCO PARA A SAÚDE
Não é considerado vetor de microorganismo patogênico, porém algumas pessoas podem apresentar sintomas alérgicos no local das picadas.



HÁBITOS
Inseto de hábito noturno. As fêmeas precisam de sangue para se alimentar e também formar seus ovos. Permanecem em repouso durante o dia e começam sua atividade ao entardecer. Os machos se alimentam de plantas.
Aedes aegypti
MOSQUITO DA DENGUE

COMO IDENTIFICAR
O mosquito adulto tem coloração escura, com anéis brancos nas pernas e manchas prateadas nas laterais do abdômen. Na parte superior do tórax e na cabeça existem algumas manchas brancas que os diferenciam das demais espécies.



RISCO PARA  A SAÚDE
Transmissão da dengue e febre amarela.



HÁBITOS
Inseto de hábito diurno. Os machos nutrem-se de seiva de plantas e as fêmeas, assim como o Culex, também se alimentam de sangue. A postura dos ovos ocorre geralmente na parede dos recipientes com água limpa e sombreada, próximo à linha d'água. Estes ovos podem permanecer viáveis por vários meses até um ano.

Curiosidades: 
Clique aqui e descubra locais com possíveis focos de Aedes aegypti e quais os sintomas da dengue.
Fonte: Departamento Técnico Ecolab Química Ltda.

quinta-feira, 17 de abril de 2014

Sangue artificial deve começar a ser testado até 2016.

Consórcio de universidades e órgãos do governo britânico está por trás de iniciativa, que poderá elevar estoque para transfusões
Cientistas britânicos querem começar a testar sangue artificial pela primeira vez em humanos nos próximos três anos.

Eles planejam iniciar a primeira fase de testes com voluntários no final de 2016 ou no início de 2017.

Por trás da iniciativa está um consórcio de universidades e órgãos do governo do Reino Unido que já vem produzindo células de sangue a partir de células-tronco.

As células-tronco são aquelas capazes de se transformar em qualquer outra célula do corpo humano. Muitos estudiosos apostam nelas como a chave para a cura de inúmeras doenças.
Cultivadas em laboratório, as células sanguíneas poderiam ser, assim, usadas para transfusões, evitando uma série de problemas comumente observados nesse processo, como o risco de transmissão de infecções, a incompatibilidade com o sistema imunológico do receptor e a possibilidade de excesso de ferro no sangue do doador.

Além disso, se for bem sucedido, o projeto permitirá aumentar a oferta de sangue disponível para transfusões.

Muitos países do mundo, como o Brasil, sofrem com o estoque dos bancos de sangue, que, alimentados por doações públicas, são insuficientes para atender a crescente demanda pelo material.

Segundo os envolvidos na pesquisa, o uso de células sanguíneas cultivadas em laboratório também apresentaria uma vantagem clínica em relação ao sangue colhido de doadores.

Isso porque, de acordo com os cientistas, as células produzidas artificialmente são mais novas e têm maior longevidade.

"Produzir uma terapia celular que leve em conta a escala, a qualidade e a segurança exigidas para testes clínicos em humanos é um desafio muito grande. Mas se tivermos êxito, poderemos garantir a populações de diferentes países o benefício dessas transfusões de sangue", afirmou Marc Turner, professor da Universidade de Edimburgo, na Escócia, e responsável pelo projeto.

"Os testes que faremos também fornecerão informação de valor a outros pesquisadores no desenvolvimento de terapias celulares", acrescentou.

Técnica

Turner e sua equipe usaram uma técnica que cria células do sangue a partir de células-tronco pluripotentes induzidas, também conhecidas como células iPS ou iPSCs.

Por esse artíficio, as células doadoras são isoladas e cultivadas. Posteriormente, transferem-se para elas os genes das células-tronco associadas por meio de vetores virais.

Ao final do processo, as células-tronco pluripotentes induzidas são estimuladas por uma substância química para se transformar em células do sangue do tipo O, raro e universal.

Segundo Turner, é provável que os testes sejam feitos em três pacientes com talassemia, uma doença que acomete o sangue e exige transfusões contínuas.

O comportamento das células sanguíneas produzidas artificialmente será monitorado durante os testes, acrescentou o pesquisador.

Ele, no entanto, ressalva que ainda há um longo caminho a percorrer para produzir sangue artificial em escala "industrial".

Atualmente, o custo para uma única transfusão de sangue é de 120 libras no Reino Unido, ou R$ 360.

Para Turner, se os testes forem eficazes, esses custos poderão ser reduzidos substancialmente no futuro

Fonte: UOL