terça-feira, 3 de março de 2015

segunda-feira, 2 de março de 2015

Fátima: “Robinson está cumprindo com o que prometeu em praça pública”

Sem título
A senadora Fátima Bezerra (PT) afirmou na manhã de hoje, durante entrevista à Rádio Cidade (94 FM), que o governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD) tem dado demonstrações concretas de coerência política ao cumprir, passo a passo, com o que prometeu à população do Estado em praça pública durante a campanha eleitoral passada. A petista avaliou como positivos os dois primeiros meses de mandato do novo governador do Estado.
“A minha avaliação é positiva. Acho que o governador, no exercício da função, tem dado demonstrações de muita coerência. Ele hoje está fazendo exatamente aquilo que prometeu em praça pública e eu estava ao lado dele”, afirmou a senadora.

Estado recebe proposta do COB para sediar Jogos Escolares da Juventude

estadocob
O Comitê Olímpico do Brasil (COB) quer que o Rio Grande do Norte seja a sede dos Jogos Escolares da Juventude, em sua etapa nacional, na faixa etária entre 12 e 14 anos, em setembro. A proposta foi apresentada ao governador Robinson Faria, na manhã desta segunda-feira (02), pelo gerente-geral da Juventude e Infraestrutura do COB, Edgar Hubner.
Para o Estado, virão uma média de quatro mil alunos, que disputarão em 13 modalidades esportivas; os quais, pela idade entre 12 e 14 anos, geralmente, vêm acompanhados dos pais, o que geraria uma ocupação da rede hoteleira de mais de 25 mil pessoas, já contando com a equipe de mais de mil pessoas do COB.
O governador se mostrou bastante interessado, sobretudo por se tratar de um evento que envolve várias frentes, como esporte e turismo. “É nosso desejo sediar os Jogos da Juventude no Estado. Mas precisaremos fazer uma reunião interna para avaliarmos a questão financeira”, afirmou Robinson, que pediu um prazo de até dez dias para dar uma resposta definitiva ao gerente-geral da Juventude e Infraestrutura do COB.

José Agripino em compasso de espera

JOSÉ-AGRIPINO-2
O presidente nacional do DEM, senador José Agripino, está em compasso de espera. O seu futuro político está nas mãos da ministra Carmem Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF). Caberá a ela autorizar a investigação a respeito da participação do democrata no escândalo da Sinal Fechado.

Polícia Militar troca tiros com assaltantes e prende um em Bom Jesus

Piloto da motocicleta, mesmo baleado, conseguiu fugir

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
A Polícia Militar (PM) prendeu na tarde desta segunda-feira (2) Wesley Richard de França Silva, após tomar de assalto uma motocicleta no município de Bom Jesus.
De acordo com a informação dos policiais, o assalto ocorreu no inicio da tarde e houve troca de tiros entre os assaltantes e a PM. O piloto da motocicleta, mesmo baleado, conseguiu fugir do cerco policial.
A Polícia Militar segue realizando diligencias na tentativa de localizar o criminoso que foi identificado apenas como “Felipe”. Já Wesley Richard foi encaminhado a Delegacia de Polícia Civil e está a disposição da justiça.
Fonte: 190 RN

Colisão entre dois veículos mata quatro pessoas na BR 226 no final desta manhã

Acidente aconteceu nas imediações de Currais Novos, no final da manhã desta segunda-feira

FOTOS: CEDIDAS
FOTOS: CEDIDAS
Um grave acidente na BR 226, mais precisamente no KM 168, matou quatro pessoas no final da manhã desta segunda-feira (2), próximo à cidade de Currais Novos. Dois veículos colidiram frontalmente. Além dos mortos, três pessoas ficaram feridas, sendo que duas ficaram presas às ferragens.
De acordo com inspetor Tibério, da Polícia Rodoviária Federal, o Corpo de Bombeiros foi acionado para retirar as vítimas que estão presas às ferragens. O PRF disse que quatro pessoas morreram, mas ainda não se tem a identificação.
A colisão envolveu um Fiat Strada e um Corsa Classic. Ainda não se sabe o que pode ter motivado o acidente, mas provavelmente um dos motoristas invadiu a mão contrária. Com a colisão do impacto, um dos carros chegou a capotar.
O inspetor Tibério ainda disse ao Portal BO que a Polícia Rodoviária Federal interditou um trecho da via e está controlando o trânsito naquela área. JORNAL DE HOJE

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

NOTA DE FALECIMENTO

Último aniversário de Dona Beatriz
(Foto: Facebook)
A família Adelino da Rocha está de luto pelo falecimento da matriarca da família; BEATRIZ BARBOSA DE MORAIS, ocorrido hoje pela manhã na residência da minha irmã Maria Adelino Ribeiro da Fonseca, residente a Rua Abdias Assis de Araújo, aos 82 anos de idade, seu sepultamento será realizado a manhã no cemitério Público de São Pedro/RN as 08h00 da manhã, desde já agradecemos aqueles que comparecem a este ato de fé e piedade cristã.

Mario Adelino


Quero desde já agradecer ao meu amigo Francisco Luiz por ter publicado a nota de falecimento de Beatriz Barbosa de Morais matriarca da familia Adelino da Rocha (minha mãe) no blog atualidadesp, sem palavras para agradecer a todos os meus amigos pelas sabias palavras que tenho recebido neste momento de grande dor...


LUTO...

mensagem-para-luto-facebook.bmp

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

De José Agripino para George Olímpio: ‘Falta R$ 700 mil para dar o mesmo que deu a Iberê’

Réu da Sinal Fechado detalhe conversa com senador e afirma que, chantageado, prometeu propina milionária

José Agripino Maia
Ciro Marques
Repórter de Política
Vítima de uma chantagem do senador José Agripino Maia, presidente nacional do DEM. Foi assim que o advogado George Olimpio afirma ter se sentido quando encontrou o parlamentar no apartamento dele em Natal e aceitou pagar R$ 1,150 milhão para manter o projeto de implantação da inspeção veicular no Estado – processo criminoso denunciado em 2011, pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte, na Operação Sinal Fechado. O detalhamento desse “sentimento” foi relevado em reportagem especial exibida pelo Fantástico, da Globo, na noite deste domingo.
“Subimos para a parte de cima do apartamento do senador José Agripino e começamos a conversar e ele disse que: George, a informação que nós temos é que você deu R$ 5 milhões para a campanha de Iberê. Eu dei R$ 1 milhão para a campanha de Iberê. ‘Pois é e tal… como é que você pode participar da nossa campanha?’ Eu falei: R$ 200 mil, tenho condição de te conseguir esse dinheiro já. Na semana que vem eu te dou R$ 100… Aí ele disse: ’pronto, aí vai faltar R$ 700 para você dar a mesma coisa que deu para a campanha de Iberê’”, narrou George Olimpio em vídeo feito pelo MPRN durante a delação premiada.
“Para mim, aquilo foi um aviso bastante claro que, ou você participa, ou perde a inspeção. Uma forma muito sutil, mas uma forma de chantagem. R$ 1,150 milhão foram dados em troca de manter a inspeção”, acrescentou o réu na reportagem especial, repercutida nos principais sites de notícias do País, como o Globo.com.
É importante ressaltar que essa não foi a primeira vez que José Agripino foi citado na investigação da Operação Sinal Fechado, deflagrada pelo MPRN em 2011 para desbaratar o esquema criminoso montado no Estado para implantar a obrigatória inspeção veicular. Em 2012, outro réu do processo, Alcides Barbosa, também afirmou que o presidente nacional do DEM tinha cobrado R$ 1 milhão para manter o projeto de implantação no governo da correligionária Rosalba Ciarlini, que se iniciaria em 2011.
O depoimento de Alcides, que corroborava o de outro réu, José Gilmar, conhecido como Gilmar da Montana (prestado em 2011, mas alvo de um pedido de desconstituição pelos advogados dele), foi alvo de críticas e da negativa do próprio George Olimpio, que na época não tinha assinado o acordo de delação premiada. George, acusado pelo MPRN de ser o mentor do grupo criminoso, disse que eram mentirosas todas as declarações de Alcides, tanto as que acusavam ele, quanto as sobre José Agripino.
E foi justamente essa declaração da época de George Olimpio que o senador potiguar se utilizou para pregar a inocência na matéria exibida pelo Fantástico. Em Miami, nos Estados Unidos, José Agripino confirmou ao Fantástico que conhecia George Olimpio, que seria parentes de amigos do pai do senador. Confirmou também que George o visitou na casa dele, em Brasília, e no apartamento dele em Natal.
“Eu nunca pedi nenhum dinheiro, nenhum valor a George Olimpio conforme ele próprio declarou em cartório, não me deu R$ 1 milhão em hipótese nenhuma”, afirmou José Agripino, acrescentando que é “uma infâmia, uma falta de verdade. É completamente falso e faltando com a verdade”, afirmou José Agripino em entrevista.
Diferente do que disse na época, George Olimpio agora garante que Agripino pediu propina e, por isso, o depoimento já foi enviado para a Procuradoria-Geral da República, que detém os direitos de investigação dos senadores – por ter foro privilegiado. “George estava se sentindo abandonado pelos comparsas, pelos demais membros da organização criminosa, e temendo ser responsabilizado criminalmente sozinho, ele procurou o Ministério Público querendo colaborar para ter a obtenção de alguma espécie de benefício”, relembrou a promotora do Patrimônio Público, Keiviany Sena.
“De quanto é que seria essa ajuda? Aí Ezequiel diz: uns R$ 500 mil”
Presidente nacional do DEM, José Agripino não foi a única liderança política citada na reportagem por envolvimento na Operação Sinal Fechado. Os ex-governadores Wilma de Faria e Iberê Ferreira, ambos do PSB, e o atual presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira, do PMDB, também apareceram na matéria exibida neste domingo. O nome do deputado estadual, inclusive, surge em trecho exibido da delação premiada de George Olimpio, assinada no ano passado.
“Aí eu digo: de quanto é que seria essa ajuda? Aí Ezequiel me diz: George, uns R$ 500 mil. Eu tenho como pagar R$ 300 mil. Eu dou R$ 150 quando foi aprovado e os outros R$ 150 você me divide em três vezes”, contou George Olimpio em vídeo de depoimento prestado ao Ministério Público do RN, após a assinatura da delação premiada.
Segundo o depoimento de George Olimpio, Ezequiel Ferreira teria oferecido “ajuda” na aprovação da matéria que tornava obrigatória a inspeção veicular no RN em troca de dinheiro. Por isso, foi denunciado na última sexta-feira pelo procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, na última sexta-feira, por corrupção passiva.
“A lei foi aprovada com a dispensa de toda a burocracia legislativa. Não tramitou em nenhuma comissão temática da Assembleia”, ressaltou o procurador-geral Rinaldo Reis, acrescentando que, além do depoimento de George, há também contra o presidente da Assembleia Legislativa documentos que comprovariam o contato com o réu e o pagamento de propina.
Lembra-se que, apesar do valor ter sido pago a Ezequiel Ferreira, a inspeção veicular nunca chegou a funcionar, porque ainda em 2011 o MPRN descobriu todo o esquema e denunciou 34 envolvidos, entre eles, George Olimpio, os ex-governadores Wilma de Faria e Iberê Ferreira, e empresário Lauro Maia e o suplente de senador João Faustino.
WILMA, IBERÊ E LAURO
A reportagem também relembrou que esquema da propina teria sido negociado na residência oficial da então governadora e hoje vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB), e o acerto teria sido feito com o filho dela, Lauro Maia – condenado em 2013 na Operação Hígia, por também acertar o recebimento de propina na residência oficial da governadora, mas de contratos ligados a terceirizadas da saúde.
Ele começou ainda antes da inspeção veicular. “O instituto (liderado por George Olimpio) tinha função de cobrar uma taxa de cada carro financiado no Rio Grande do Norte, mas segundo o MPRN, nessa taxa, estava embutido o custo da propina”, afirmou o reportar Maurício Ferraz, do Fantástico.
Segundo George Olimpio, de cada contrato, ia uma média de R$ 15 para o “Governo”, o que dava cerca de R$ 75 mil por mês para eles. O valor era pago ao então diretor do Detran/RN, Erico Valério Ferreira, e continuou mesmo com a saída de Wilma e a chegada ao Governo de Iberê Ferreira de Souza (PSB), hoje falecido.
Em nota, Wilma de Faria afirmou que considera qualquer “citação nesse contexto como uma ilação caluniosa, injusta, desrespeitosa e antidemocrática”. Lauro Maia afirmou que desconhece o conteúdo da delação de George Olimpio, mas adiantou que repudia qualquer afirmação de que teria participado de esquema criminoso. JORNAL DE HOJE

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Empresário diz ter pago propina para aprovar lei no Rio Grande do Norte

Na delação, George Olímpio conta que esquema foi negociado na residência oficial da então governadora Wilma de Faria.

Será possível alguém comprar o que não deveria estar à venda? Por exemplo: comprar uma lei? Pois um empresário nordestino diz que fez exatamente isso: distribui propina a vários políticos para aprovar uma lei que era do interesse dele.
O homem que não quis ser identificado falou durante três horas e meia para o Ministério Público. “Ou é 100 mil, que é o valor total do mês, ou é 100 menos o valor que tinha sido antecipado”, afirma homem.
O empresário, que pediu para não ter o rosto gravado durante o depoimento, é George Olímpio, do Rio Grande do Norte. O esquema delatado teria ocorrido entre 2008 e 2011, quando George montou um instituto para prestar serviços de cartório ao Detran do estado.
O instituto tinha a função de cobrar uma taxa de cada contrato de carro financiado no Rio Grande do Norte. Mas segundo o Ministério Público, nessa taxa estava embutido o custo da propina.
Na delação, o empresário conta que o esquema da propina foi negociado na residência oficial da então governadora do estado, Wilma de Faria, do PSB, hoje vice-prefeita de Natal.
“Eu fui chamado para uma reunião com Lauro Maia”, diz o delator.
Lauro Maia é o filho de Wilma.
“Essa reunião foi dentro da casa da governadoria, dentro de um gabinete que era o gabinete que Lauro recebia as pessoas para fazer tratativas”, diz George Olímpio.
Segundo o delator, era Lauro quem determinava o valor da propina de cada contrato de veículo financiado no estado. “Ficou definido que para o governo ia R$ 15 por contrato. A média de contratos por mês girava em torno de 5 mil”, conta.
O que daria, por mês, R$75 mil de propina para o governo. Em março de 2010, a então governadora deixa o cargo para concorrer ao Senado. Quem assume é o vice, Iberê Ferreira, também do PSB, hoje falecido. Segundo a promotoria, ele também recebeu propina.


As investigações, que começaram em 2011, mostram que o esquema só era viável porque o então diretor do Detran, Érico Vallério de Souza, recebia dinheiro.

“A gente marca o encontro no escritório, exatamente para eu repassar esse dinheiro a ele. Todo mês era feito o encontro de contas”, afirma o delator.
Neste mesmo período, o empresário George Olímpio investe em um esquema mais audacioso: a compra de uma lei para tornar obrigatório a inspeção veicular no estado.
“Você imagina um veículo acabou de sair da fábrica, teria que pagar inspeção veicular”, afirma Paulo Batista Lopes Neto, promotor de Justiça.
Para a lei ser aprovada rapidamente, George diz que contou com a ajuda do deputado Ezequiel Ferreira, do PMDB, hoje presidente da Assembleia Legislativa.
“Eu digo: de quanto é que seria essa ajuda? Aí o Ezequiel me diz: George, uns 500 mil. Eu tenho como pagar 300 mil. Eu dou 150 quando for aprovado e os outros 150 você me divide em três vezes”, conta o delator.
Na última sexta-feira (20), o procurador-geral da Justiça denunciou Ezequiel, ou seja, entregou a acusação formal ao juiz por crime de corrupção passiva.


“A lei foi aprovada com a dispensa de toda a burocracia legislativa. Não passou, não tramitou em nenhuma comissão temática da assembleia”, afirma o procurador-geral de Justiça Rinaldo Reis Lima.

O valor foi pago, mas a inspeção nunca chegou a funcionar porque, ainda em 2011, o Ministério Público descobriu todo o esquema. Na época, 34 envolvidos foram denunciados inclusive George Olímpio. Mas foi só em 2014 que ele decidiu contar tudo.
“Ele estava se sentindo abandonado pelos comparsas, pelos demais membros da organização criminosa e ele, temendo ser responsabilizado penalmente sozinho, procurou o Ministério Público em troca de colaborar para ter a obtenção de alguma espécie de benefício”, diz a promotora de Justiça Keiviany Silva de Sena.
Em um dos trechos da delação George Olímpio cita José Agripino, senador do DEM pelo Rio Grande do Norte. Diz que o senador pediu para ele mais de R$ 1 milhão no ano de 2010.
O encontro entre o empresário e o senador teria sido no apartamento de Agripino. “Subimos para parte de cima da cobertura de José Agripino e começamos a conversar e ele disse que, ele José Agripino disse: 'É George, a informação que nós temos é que você deu R$5 milhões para campanha de Iberê'", afirma o delator.
Iberê era o governador na época. “Eu dei R$ 1 milhão para campanha de Iberê. Ele disse: pois é, e tal, como é que você pode participar da nossa campanha? Eu falei R$ 200 mil. Disse: tenho condições de lhe conseguir esse dinheiro já. Estou lhe dando esses R$ 200 mil, na semana que vem lhe dou R$ 100 mil. Ele disse: 'pronto, aí vai faltar R$ 700 mil para dar a mesma coisa que você deu para a campanha de Iberê'. Para mim, aquilo foi um aviso bastante claro de que ou você participa ou você perde a inspeção. Uma forma muito sutil, mas uma forma de chantagem. R$ 1,150 milhão foram dados em troca de manter a inspeção”, diz o delator.
Por telefone, Fantástico falou com José Agripino que estava em Miami, nos Estados Unidos.
Fantástico: O senhor conhece George Olímpio?

José Agripino: Conheci George Olímpio, é uma figura conhecida em Natal e é parente de amigos do meu pai de muito tempo atrás, eu o conheci sim.
Fantástico: Ele disse que já foi na casa do senhor em Brasília. Ele já foi, senador?
José Agripino: Teria ido. Ele foi na minha casa uma vez. 
Fantástico: E este apartamento no Rio Grande do Norte ele disse que esteve lá também? Ele já esteve nesse apartamento também?
José Agripino: Esteve também.
Fantástico: Ele disse que o senhor pediu mais de R$ 1 milhão para ele e este pedido foi feito no apartamento do senhor.
José Agripino: Eu nunca pedi nenhum dinheiro, nenhum valor a George Olímpio. E conforme ele próprio declarou em cartório, não me deu R$ 1 milhão coisíssima nenhuma.

O senador enviou ao Fantástico o documento de 2012, que George Olímpio teria registrado em cartório. “É uma infâmia, uma falta de verdade. Está completamente falso e faltando com a verdade”, afirma José Agripino.
Como senador, Agripino tem o chamado foro por prerrogativa de função. Por isso, todo o material que se refere a ele foi enviado para a Procuradoria-Geral da República.
O Fantástico procurou todos os outros citados.
Em nota, Wilma Faria diz que considera qualquer citação ao seu nome nesse contexto como ilação caluniosa, injusta, desrespeitosa e antidemocrática.
O filho dela, Lauro Maia, disse que desconhece o conteúdo da delação de George Olímpio e, mesmo assim, repudia qualquer afirmação de que teria participado em esquema criminoso.
O Fantástico não encontrou Érico Vallério, ex-diretor do Detran, no prédio dele. A equipe deixou recado mas ele não ligou de volta.


O deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza diz que não recebeu a notificação oficial da denúncia oferecida pelo Ministério Público e que no momento oportuno provará a inconsistência do processo.

Em nota, a família de Iberê Ferreira disse que o ex-governador, antes de falecer, negou as acusações feitas contra ele.
Mesmo com a delação premiada, George Olímpio é réu no processo. E aguarda o julgamento em liberdade.
“O que nos impressionou é exatamente que toda a investigação levada a efeito pelo Ministério Público e toda análise da prova foi uma análise perfeitamente compatível com que de fato aconteceu, da forma como George, posteriormente, narrou”, afirma promotora Keiviany Silva de Sena.http://g1.globo.com/fantastico

Polícia Federal apreende drogas em baú de caminhão

A Polícia Federal apreendeu na manhã deste domingo (22) uma carga de 492,5 quilos de maconha que estava em um baú de caminhão de mudanças que vinha de São Paulo. A apreensão aconteceu em um posto de combustíveis em Parnamirim, município da Região Metropolitana de Natal. 
Foram apreendidos 492,5 quilos de maconha
Dois homens foram presos: um motorista cearense, de 39 anos e um paulista de 29 anos. A dupla e o veículo foram levados à Superintendência da Polícia Federal, onde foram encontradas diversas caixas de papelão lacradas no interior do caminhão. Após abrirem as caixas, os policiais encontraram um total de 466 tabletes de maconha. 

Os suspeitos se recusaram a fornecer detalhes sobre quem os contratou, embora o motorista tenha admitido que receberia R$ 20 mil pelo transporte da droga. 
As drogas estavam escondidas no interior de um caminhão vindo de São Paulo
Esta é a maior apreensão de entorpecentes feita no Rio Grande do Norte este ano. Somente nos dois primeiros meses de 2015, a Polícia Federal já apreendeu 810 quilos de drogas. TRIBUNA DO NORTE

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Presidente da Assembleia mostrou surpresa com denúncia do Ministério Público

Sobre as denúncias apresentadas na tarde desta sexta-feira (20) pelo Ministério Público, o presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira de Souza, “em respeito à opinião pública e ciente de sua idoneidade, informa que não foi comunicado oficialmente sobre os novos fatos da investigação”.
“Quando ouvido anteriormente, prestou todos os esclarecimentos aos agentes do Ministério Público responsáveis pelos trabalhos investigatórios. Por isso, recebeu com surpresa a notícia do oferecimento da denúncia e esclarece por fim que confia na Justiça e manifesta improcedência da denúncia”, diz a nota enviada à imprensa.
Entenda o caso
O Ministério Público do Estado do Rio Grande do Norte apresentou denúncia contra o deputado estadual e presidente da Assembleia Legislativa, Ezequiel Ferreira (PMDB), por participação no esquema investigado pela operação Sinal Fechado com base na delação premiada de George Anderson Olímpio Silveira. O delator teria pagado R$ 300 mil a fim de que Ezequiel votasse favoravelmente e intercedesse junto aos demais deputados na Assembleia Legislativa pela aprovação do projeto de Lei 213/09 (Programa de Inspeção e Manutenção de Veículos do Estado do Rio Grande do Norte).

Procuradoria Geral da República é acionada para investigar participação de Agripino na operação Sinal Fechado

agripinomensagem
Segundo o Portal No Ar, a Procuradoria Geral da República foi acionada pelo Ministério Público do Rio Grande do Norte para tratar da investigação que envolve prerrogativa de foro no âmbito da Operação Sinal Fechado. Os promotores do Patrimônio Público que concederam entrevista coletiva nesta sexta-feira (20) informaram que não poderiam tratar de eventual nome – ou nomes – que foram entregues à PGR já que o assunto foge à sua alçada.
Apesar disso, a expectativa é que o material envolva o senador José Agripino (DEM). Ele já havia aparecido no caso em 2012, quando o lobista Alcides Barbosa, também em delação premiada, declarou que o senador recebeu um milhão de reais do esquema fraudulento para facilitar o trâmite junto à gestão da governadora Rosalba Ciarlini, em cujo governo a proposta da inspeção veicular foi de vez sepultada.
MP denuncia Ezequiel por ter recebido R$ 350 mil de propina da ‘Sinal Fechado’

Deputado do PMDB é denunciado por corrupção duas semanas após assumir a presidência da Assembleia

GFYTFYF
Ciro Marques
Repórter de Política
O escândalo denunciado na Operação Sinal Fechado, que já envolveu os ex-governadores Wilma de Faria (PSB) e Iberê Ferreira (PSB), denunciou nesta sexta-feira o chefe de mais um Poder do Rio Grande do Norte: o deputado estadual Ezequiel Ferreira, presidente da Assembleia Legislativa há pouco mais de duas semanas. O parlamentar foi denunciado pelo Ministério Público do RN por pedir R$ 350 mil para ajudar a aprovar o projeto da inspeção veicular no Rio Grande do Norte na Casa Legislativa em 2010.
A denúncia, que aponta para corrupção passiva, é resultado da colaboração premiada feita por George Anderson Olimpio da Silveira, um dos réus da operação Sinal Fechado e acusado de ser o responsável por todo o processo irregular de implantação da inspeção veicular no Estado. “Há mais elementos além desse depoimento de George Olimpio. Ezequiel Ferreira também foi citado no depoimento de outro envolvido, Alcides Fernandes”, revelou o procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis, responsável por assinar a denúncia contra o atual presidente da Assembleia.
“Os réus colaboradores elucidaram, com riqueza de detalhes, os meandros da trama narrada na denúncia, com indicação dos demais autores e partícipes, infrações penais por eles praticadas, a revelação da estrutura hierárquica e a divisão de tarefas da organização criminosa”, reforçou o texto enviado pela assessoria de comunicação do MP, complementando as palavras do procurador.
De acordo com Reis, Ezequiel Ferreira teria pedido R$ 350 mil para atuar como defensor do projeto da inspeção veicular – discutido no final da gestão Wilma, todo o Governo Iberê Ferreira e implantado nos primeiros meses da administração Rorsalba Ciarlini, mas logo depois suspensa por descobrimento das irregularidades.
Dos R$ 350 mil pedidos por Ezequiel, R$ 300 mil seriam pagos “no ato” do acerto e outros R$ 50 mil depois, na campanha (de 2010). “Ezequiel teria pedido inicialmente R$ 500 mil, mas depois baixado para R$ 350 mil. Desse valor, segundo o deputado, uma parte seria para o então presidente da Assembleia, Robinson Faria, hoje governador. Nós apuramos esse possível envolvimento de Robinson, mas não encontramos qualquer outra prova contra ele e decidimos arquivar a investigação”, explicou Reis.
Apesar de Robinson não ter sido envolvido no caso, o procurador-geral de Justiça confirmou que há outros políticos citados na delação premiada de George Olimpio, como o senador José Agripino (DEM). Como o MPRN não tem poder de investigar o presidente nacional do Democratas, o caso foi enviado para o procurador-geral da República, Rodrigo Janot. “A investigação continua sobre o desdobramento da Sinal Fechado. Os promotores do Patrimônio Público continuam analisando e juntando provas”, afirmou Rinaldo Reis, em coletiva de imprensa sobre o caso concedida na manhã de hoje.
ENVOLVIMENTO ANTIGO
É importante ressaltar que essa não é a primeira vez que Ezequiel Ferreira é citado no escândalo da Sinal Fechado. O parlamentar, que presidiu normalmente a sessão de hoje da Assembleia, sem saber do teor da coletiva concedida no MPRN, apareceu nos depoimentos pela primeira vez em maio de 2012. Na época, diante de poucas provas, Ezequiel apenas desmereceu a citação.
“A fantasia soa absurda, por não ter eu liderança e força suficientes na Casa para influir, isoladamente, na decisão de vinte e três outros Deputados, nem poder para leva-los a votar dessa ou daquela maneira. É mesmo ridículo supor que alguém vá desembolsar tão vultosa quantia para seduzir um só deputado, entre vinte e quatro, quando esse único Deputado sabidamente não tinha meios e força para atender ao pretendido”, acrescentou Ezequiel Ferreira na época. JORNAL DE HOJE

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Homem é preso suspeito de danificar e atear fogo em trailer da PM em Natal

Ocorrência foi registrada nesta madrugada no bairro das Rocas.

Segundo a polícia, suspeito detido possui mandado de prisão em aberto.
Trailer da PM teve a janela danificada; dentro da unidade, criminosos jogaram um produto inflamável e atearam fogo (Foto: Divulgação/Polícia Militar do RN)
Trailer da PM teve a janela danificada; dentro da unidade, criminosos jogaram um produto inflamável e atearam fogo (Foto: Divulgação/Polícia Militar do RN)
Um homem foi preso na madrugada desta quarta-feira (18) suspeito de arrombar e atear fogo em um trailer da Polícia Militar no bairro das Rocas, na Zona Leste de Natal. Segundo o major Antônio Marinho, comandante do 1º BPM, a unidade estava fechada quando foi atacada e ninguém se feriu.

“A janela foi arrombada, jogaram algum produto inflamável dentro do trailer e depois atearam fogo. Uma guarnição nossa chegou rapidamente ao local e conseguiu controlar as chamas. Foi uma tentativa de incêndio. O mais importante foi que demos uma resposta rápida”, ressaltou o major.

Ainda de acordo com o oficial, o suspeito detido é considerado foragido do sistema prisional e possui mandado de prisão em aberto. “Ele foi conduzido para a Delegacia de Plantão da Zona Sul para ser autuado”, informou. Uma segunda pessoa, que também teria participado dos atos de vandalismo, conseguiu escapar. G1/RN

Assaltante morre e quatro são presos após confronto com Polícia Militar em praia

Ocorrência foi registrada na praia de Pedra Grande, nesta quarta-feira.





FOTO: CEDIDA / PM
FOTO: CEDIDA / PM

Um homem suspeito de assalto morreu em confronto com a Polícia Militar e outros quatro foram presos, nesta quarta-feira (18). A quadrilha teria assaltado casas de praia, na praia de Pedra Grande, em Porto do Mangue, durante a madrugada. No entanto, acabou cercada pela polícia.
A Secretaria Estadual de Segurança Pública informou que uma das vítimas conseguiu acionar a polícia e, rapidamente, uma equipe da Polícia Militar chegou ao local e cercou a casa onde estavam os criminosos.
Os bandidos teriam reagido à voz de prisão e atiraram contra os policiais. No confronto, um dos suspeitos foi baleado. Ele chegou a ser socorrido, mas não resistiu e morreu no hospital. O jovem foi identificado como Romário Crisostomo da Costa, de 21 anos.
Os outros quatro homens presos são: Antonio Lúcio da Silva Júnior, de 18 anos; Alison Andrade dos Santos, de 21 anos; Ediclênio Batista de Lima, de 20 anos; e Paulo Marcos de Melo, de 26 anos.  Fonte: Portal BO