quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Guarda Municipal assina convênio para realizar rondas ostensivas em escolas de Natal

Foto divulgação

A Guarda Municipal de Natal, através da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social, assinou um convênio para, a partir de agora, realizar rondas ostensivas e preventivas nas escolas municipais. A parceria feita com a Secretaria Municipal de Educação deverá reforçar a segurança e, principalmente, resgatar a tranquilidade para alunos, pais e professores.
Secretário Paulo César durante solenidade com o prefeito Carlos Eduardo.

“Além do trabalho de rondas ostensivas, será feito um trabalho de monitoramento e segurança preventiva, com palestras para os alunos. Então, ganha a sociedade, ganha o cidadão natalense. Podem ter certeza que todos que fazem a Secretaria de Segurança darão o máximo para alcançar os objetivos do projeto”, disse o secretário Paulo César Ferreira da Costa.

De acordo com ele, a Ronda Escolar da Guarda Municipal terá como foco evitar a circulação de drogas no ambiente das escolas, bem como inibirá a atuação de assaltantes nas imediações e até mesmo dará mais segurança aos educadores.

O prefeito Carlos Eduardo falou da importância do projeto. “A gente reconhece que a Guarda Municipal já vem desempenhando um grande trabalho na proteção ao patrimônio da Prefeitura e do povo de Natal, bem como até atuado na área das escolas. Mas com esse convenio isso será reforçado. É importante frisar que o principal redutor da violência é a educação, então, a garantia de mais segurança nas escolas será fator decisivo”, declarou.

Com a assinatura do convênio entre a Secretaria Municipal de Segurança Pública e Defesa Social e a Secretaria Municipal de Educação, os guardas municipais que estiverem de folga irão integrar a ronda ostensiva nas escolas, recebendo diárias operacionais pelos serviços prestados.

Fonte: Portal BO

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Em entrevistas, Robinson reafirma compromissos assumidos durante campanha


robinson entrevistas
Um dia após a vitória nas urnas na eleição de governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD) reafirmou os compromissos assumidos em campanha. Em entrevistas nesta segunda-feira (27) a TV Cabugi, Tv Ponta Negra, Tribuna do Norte, Folha de São Paulo, Valor Econômico e Estadão, Robinson falou dos projetos para o Estado e agradeceu os 877.286 votos. “Reafirmo o nosso compromisso de trabalho e empenho em cuidar das pessoas, oferecendo um serviço público de qualidade com bons resultados para a população na saúde, segurança, educação e promovendo o desenvolvimento social e econômico do Rio Grande do Norte”, destacou.
Em entrevista na TV Cabugi, o governador eleito para administrar o Estado nos próximos quatro anos, iniciando em janeiro de 2015, falou sobre os desafios na gestão estadual. “Vamos priorizar o pagamento em dia do funcionalismo público e a eficiência da máquina pública em todo o Estado”, frisou. Robinson foi entrevistado também na TV Ponta Negra e reafirmou compromissos com a saúde, educação. “Vamos construir um novo hospital de Traumas em Natal e Centros de Diagnósticos em Natal e Mossoró, cuidando da prevenção e tratamento de doenças e garantindo mais qualidade de vida a população”, justificou.

Fátima diz que mandato no Senado será “aliado incansável do RN”

robinson fatima vitoria
A senadora eleita Fátima Bezerra, do PT do Rio Grande do Norte, destacou neste domingo (26) que as vitórias de Dilma Rousseff, na presidência, e de Robinson Faria, no Governo, representaram o sentimento dos brasileiros de avançar ainda mais no país e, no caso dos potiguares, de promover o Estado para o trilho do desenvolvimento nacional. Ela destacou que Robinson terá seu mandato no Senado como um “aliado incansável” em favor do RN.
Fátima acompanhou o governador eleito na coletiva após o resultado da apuração das urnas, na noite de domingo. Ambos seguiram em carreata pela zona sul da capital, percurso finalizado no Ponto 7 em Ponta Negra, onde uma multidão os aguardava. A senadora afirmou que os norte-rio-grandenses podem esperar a continuidade do trabalho que permeou os 12 anos de deputada federal. “Me dedicarei ao meu estado com a mesma seriedade e comprometimento”, frisou.

Na Região Potengi, Robinson venceu em 8 município; Henrique, em 3

O governador eleito, Robinson Faria (PSD) também foi vitorioso na Região Potengi. Dos 11 municípios, Robinson venceu em 8 (Barcelona, Bom Jesus, Ielmo Marinho, Santa Maria, São Paulo do Potengi, São Pedro, São Tomé e Senador Elói de Souza), Henrique (PMDB) venceu apenas em 3 (Lagoa de Velhos, Riachuelo e Ruy Barbosa).

Somando os votos dos 11 municípios do Potengi, Robinson obteve 28.553 votos (53,80%), e Henrique obteve 24.516 votos (46,20%). A maioria do governador eleito no Potengi foi de 4.037 votos, em percentual a maioria foi de 7,60%.

Foi a virada de Robinson no 2º turno no Potengi, pois no 1º turno, havia perdido com desvantagem de 511 votos. Do 1º para o 2º turno, Robinson reverteu em Barcelona, Bom Jesus e São Pedro, Henrique conseguiu reverter em Lagoa de Velhos.

A maior vantagem na Região: Pró-Robinson foi em São Paulo do Potengi com a maioria de 1.857 votos (19,26%), e Pró-Henrique foi em Ruy Barbosa com maioria de 692 votos (27,18%).

A vitória mais apertada na Região: Pró-Robinson foi em Bom Jesus com maioria de 136 votos (2,54%), e Pró-Henrique foi em Lagoa de Velhos, com maioria de apenas 29 votos (2,24%).

Vale destacar que na Região Potengi, entre os prefeitos, Robinson contava apenas com os apoios de 3 prefeitos: Naldinho (São Paulo do Potengi), Bruno Patriota (Ielmo Marinho), e a que aderiu já no 2º turno, Robenice (São Pedro). Enquanto que Henrique, contava com os apoios de prefeitos de 8 municípios: Neto Mafra e Zamith (Barcelona), Júnior (Bom Jesus), Igor Araújo (Lagoa de Velhos), Mara (Riachuelo), Nica (Ruy Barbosa), Celina (Santa Maria), Gutemberg (São Tomé) e Kerginaldo (Senador Elói de Souza). http://www.blogdosilverioalves.com/

‘FAREMOS UM GOVERNO TÉCNICO’, DIZ ROBINSON FARIA APÓS SER ELEITO NO RN

O candidato eleito governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), falou sobre a vitória em uma coletiva de imprensa na residência onde mora, no bairro de Petropólis, na Zona Leste de Natal. Emocionado, ele agradeceu aos eleitores e aos partidos que o apoiaram e afirmou que fará “um governo técnico”, com a base em um secretariado formado por especialistas.
“Faremos um governo técnico. Estou totalmente livre para premiar a competência. O fator decisivo para integrar a minha equipe não será bandeira partidária. Será a competência. No meu governo não terá essa história de um tempo para arrumar a casa. Vou trabalhar desde o primeiro dia para fazer um governo inovador, ousado, moderno e restabelecer o diálogo com a sociedade”, declarou o novo governador.
O candidato destacou a presença do Partido dos Trabalhadores (PT) como aliado em sua campanha, sobretudo o apoio da senadora eleita no Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra, que também ocupará o cargo pela primeira vez.
“Reconheço a importância do PT na minha eleição. Foi uma campanha desigual. O outro candidato teve recursos, alianças, mas não teve o povo no palanque. Fizemos uma campanha pautada na cidadania, no espírito público, que mostrou a inteligência do povo potiguar”, disse Robinson.
Campanha
Desde o início da campanha Robinson Faria afirmava que sua candidatura era “uma chance à democracia no Rio Grande do Norte” para que o estado não tivesse uma “eleição de um candidato só”. A candidatura teve o apoio de oito partidos. O principal adversário foi o deputado federal Henrique Eduardo Alves (PMDB), que contou com o apoio de dezoito partidos.
Propostas
Durante toda a campanha Robinson Faria prometeu tratar a segurança pública como prioridade. Dentre as propostas, está a integração das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Instituto Técnico-Científico de Polícia (Itep), e a implantação da “polícia comunitária” para assegurar uma polícia próxima do cidadão, que utiliza a força de forma legal e proporcional, por meio do irrestrito respeito aos direitos humanos, a qualificação em consonância com a utilização de tecnologia avançada e a interação com a comunidade.
Ele defende ainda o fim do desvio de função na segurança pública que não objetiva apenas fazer os agentes retornarem às suas instituições de origem, mas assegurar que desempenhem as atribuições para as quais foram concursados nas suas próprias instituições.

sábado, 25 de outubro de 2014

ROBINSON REPUDIA ATAQUES: ‘A MÁSCARA CAIU. ELE VOLTOU A SER O HENRIQUE ALVES DE SEMPRE’

O candidato do PSD a governador do Rio Grande do Norte, Robinson Faria (PSD), se disse indignado com as baixarias do candidato do PMDB, Henrique Alves, utilizadas na reta final da campanha com o intuito de reverter o quadro desfavorável nas pesquisas. Atingido em sua honra, o vice-governador afirmou que o adversário quis passar, no início da campanha, imagem de líder maduro, ao destacar que faria uma campanha de alto nível. Entretanto, de acordo com Robinson, essa máscara caiu, provando que a postura inicial de Henrique era apenas de um personagem.
“Minha indignação é quanto à mudança da condução da campanha do opositor, o desespero. Bastou a pesquisa sinalizar nossa vitória, começou o festival de baixarias. Isso me causa indignação e perplexidade. A população não queria que a campanha fosse nesse nível. Todos os dias são mentiras, acusações, calúnias. A população não suporta mais esse tipo de atitude. Eu mesmo esperava que o candidato tivesse outra conduta. Até pelo cargo que ele ocupa, de presidente da Câmara dos Deputados, um dos mais importantes do Brasil. Jamais imaginei que ele pudesse ter posto a campanha nesse nível de tantas baixarias”, disse Robinson.
Na reta final da campanha eleitoral deste ano, Henrique apresenta sob forma de “escândalo” o fato de Robinson possuir 98 apartamentos no residencial Caravelas, em Parnamirim, que faz parte do Minha Casa, Minha Vida. A defesa de Robinson explicou que não há nada de irregular nisso. Ele era proprietário do terreno onde foram construídos os apartamentos e ficou com parte dos imóveis como permuta. Um contrato, inclusive, “totalmente legal”, segundo a defesa. A justiça já se pronunciou a respeito, acatando a defesa de Robinson e determinando direito de resposta no programa de Henrique. O juiz eleitoral Cícero Macedo, na sua decisão, disse que “a inverdade contida na propaganda busca passar, com informações distorcidas, uma imagem negativa e maculadora da honra e imagem do candidato Robinson Faria”.
PERSONAGEM
Robinson criticou duramente a conduta de Henrique. Para o candidato do PSD, que, segundo a última pesquisa Ibope, tem 54% dos votos contra 46% do opositor, o nível da campanha de Henrique mostra a face real do peemedebista. “Henrique falou no começo da campanha que era um novo Henrique, que tinha feito reflexão, que tinha sepultado o passado. Só que era um personagem; não era real. O verdadeiro Henrique é esse. Radical, acusando, promovendo baixarias, usando os veículos de comunicação ligados a ele para atacar os adversários. Esse é o verdadeiro Henrique. O Henrique do começo da campanha era uma farsa. Minha indignação é essa. Esperava uma campanha do mais alto nível. E ele voltou àquelas práticas políticas velhas, antigas, ultrapassadas, e que o povo não quer mais”, observou ainda o vice.
Na visão de Robinson, Henrique subestimou que tinha um adversário que poderia crescer. “Ele se achava vitorioso, e quis passar para o povo a posição de um líder maduro. Mas era apenas um personagem. Bastou a campanha passar para o segundo turno que a máscara caiu. E ele voltou a ser o velho Henrique de sempre. Ou seja, Henrique não mudou, não vai mudar, nem é mudança”, finalizou Robinson.
Mineiro: “Índice de baixaria é o indicador de derrota medido pelo Instituto do Desespero”
O deputado estadual reeleito Fernando Mineiro (PT) declarou na manhã desta quarta-feira que o nível de baixaria na campanha de Henrique Alves (PMDB) é um indicador da derrota eleitoral do candidato no próximo domingo. Segundo Mineiro, o desespero do peemedebista é compreensível, vez que contava com vitória no primeiro turno da eleição, e agora se vê na iminência de uma derrota no segundo turno. “Acho que esse processo de baixarias acabou servindo para tirar a máscara de quem dizia que faria uma campanha propositiva. No meu ponto de vista, o índice de baixaria é o indicador de derrota, medido pelo instituto do desespero. Quanto maior o nível de baixaria, menor é o voto do eleitor”, afirmou o petista, que coordena a campanha eleitoral de Robinson em Natal.
Mineiro torce para que o nível da campanha melhore, mas destacou não ter ficado surpreso com o chamado “marketing do esgoto”, usado na campanha de Henrique para tentar reverter o quadro eleitoral adverso mostrado pela pesquisa Ibope (56% para Robinson e 46% para Henrique). “Sobre o nível da campanha, espero que não prevaleça tão baixo. É desespero, compreensível, para quem cantava em verso e prosa que ganharia a eleição numa barbada. Eu sou um cara compreensível, compreendo a agonia das pessoas”, disse o petista, destacando que, embora não tenha ficado surpreso, o fato é que, “na iminência da derrota, o adversário usa de todas as armas, o que só aprofunda a derrota”.
Ao partir para expedientes sensacionalistas e falaciosos no programa de rádio e TV, tentando criar escândalos inexistentes, como o dos apartamentos da MRV, Henrique encarna o que representa como político, segundo Mineiro. “Eu disse que Henrique era a síntese dos últimos 40 anos de campanha no RN. Esse tipo de coisa é uma das características desse passado. Ele representa esse passado, é da cultura dele”, observou.
Para o petista, Robinson vencerá a eleição no próximo domingo porque o uso de estratégias como a utilizada por Henrique “só faz diminuir a votação de Henrique”. E insiste: “O índice de baixaria é inversamente proporcional ao índice de votos. Quanto maior a baixaria, menor o voto. Não me baseio por pesquisa para medir isso, mas pelo instituto desespero”, afirmou, destacando que, apesar disso, na reta final, a disputa será voto a voto. “Nada de já ganhou, apesar de todos os indicativos. Venceremos a eleição, tanto local, como nacional. Vamos ganhar em Natal, devido ao debate e à discussão e ao convencimento das pessoas. Voto a voto até o último momento e vamos ganhar”, frisou.

FÁTIMA BEZERRA: “ELEITOR DO RN JÁ SE DEFINIU. A VITÓRIA DE ROBINSON FARIA”

Senadora eleita pelo Rio Grande do Norte, a deputada federal Fátima Bezerra (PT) disse hoje que, diante das últimas pesquisas, a expectativa é de vitória do candidato do PSD a governador, Robinson Faria, nas urnas deste domingo. Em entrevista à Rádio Cidade, a petista declarou que, neste momento do segundo turno, o povo já fez sua escolha e irá confirmar Robinson governador e Dilma Rousseff (PT) presidente da República nas urnas. “Eu não sou pessoa de subestimar adversário, de maneira nenhuma. Mas nossa expectativa é de vitória”, disse Fátima, complementando em seguida: “Estou muito confiante e acho que o povo do Rio Grande do Norte já fez a sua escolha. O que nós esperamos agora é, se Deus quiser, no dia 26, a confirmação desse sentimento popular em prol da candidatura de Robinson a governador, bem como a candidatura de Dilma a presidente”.
Ao analisar a reta final da campanha, Fátima afirmou que ho
uve movimento crescente de fortalecimento da candidatura de Robinson. “Recebemos muitos apoios políticos nesse segundo turno, de prefeitos, ex-prefeitos, vereadores, ex-vereadores e demais lideranças políticas”, frisou. Ela disse que a aliança saiu vitoriosa no primeiro turno com a vitória dela para o Senado contra a candidata do acordão, a vice-prefeita de Natal, Wilma de Faria (PSB). E que agora, no segundo turno, o povo irá confirmara a vitória definitiva da aliança, elegendo Robinson governador. “Saímos do primeiro turno vitoriosos, sem dúvida nenhuma. Além de ganhar a disputa para o Senado, e isso não é qualquer coisa, o povo, com muita sabedoria, mandou Robinson para o segundo turno”, destacou.
Agora, disse Fátima, a aliança chega ao segundo turno na condição de favorita. “Porque as pesquisas que foram divulgadas até o presente momento apresentam o nosso candidato Robinson governador na frente”, disse. “Se você pegar a pesquisa da Certus, no primeiro turno o candidato adversário tinha quase sete pontos na frente de Robinson”, enfatiza, destacando que as duas pesquisas divulgadas no segundo turno colocam Robinson na frente. “Viramos o jogo. Agora é trabalhar incansavelmente até domingo”, afirma Fátima, conclamando a militância a não esmorecer. “Até por que eu tenho alertado muito a militância, os nossos apoiadores: nada de salto alto. Essa campanha foi assim no primeiro turno, está sendo assim e será assim até domingo. Incansavelmente. Trabalhando incansavelmente”.
“Campanha que parte para o campo do ataque, perde o apreço popular”
Ao falar sobre a agressividade da campanha de Henrique Alves contra Robinson neste segundo turno Fátima afirmou se tratar de uma estratégia equivocada do opositor. “Acho essa estratégia equivocada. A população não acolhe esse tipo de estratégia. Muito pelo contrário. A campanha que parte para o campo do ataque, da agressão, só faz é perder o sentimento popular. Porque o que o povo quer, afinal de contas, é ouvir propostas, projetos, conhecer a história de seu candidato, sua trajetória e saber qual é o projeto, quais são as propostas que ele tem a apresentar para que nós possamos ter um futuro promissor para a população do RN”.
Fátima afirmou que, nesse aspecto de propostas, Robinson representa a mudança. “Robinson tem se concentrado exatamente nessa direção”, declarou, acrescentando que a campanha adversária, ao partir para ataques e mentiras, desrespeita o eleitor. “Esse tipo de campanha eu acho que é um desrespeito ao eleitor e está aí a própria Justiça Eleitoral também desaprovando esse tipo de campanha, tanto é que o nosso candidato tem ganhado todos os direitos de respostas”, declarou.
Senadora se emociona ao falar das dificuldades da campanha
A deputada Fátima se emocionou ao conceder entrevista à Rádio Cidade, esta manhã. Foi às lágrimas ao lembrar as dificuldades que teve de enfrentar para efetivar o projeto de chegar ao Senado da República. “O Rio Grande do Norte sabe que não foi simples para mim, tomar essa decisão”, disse a senadora eleita, lembrando que em determinado momento o PT ficou num isolamento político grande no Estado. “E as pessoas chegavam para mim, e diziam: ‘Mas, Fátima, você tem um mandato de deputada federal assegurado’. Porque se eu tivesse ido para deputado federal eu teria renovado esse mandato. E as pessoas diziam que não poderíamos perder esse mandato, que esse mandato é importante para a educação, importante para o nosso Estado”, disse, voz embargada.
Fátima não parou aí. Relatou que ao abrir mão de uma reeleição certa, teria a dificuldade de se lançar numa disputa “que era só uma vaga, enfrentado de uma forma gigantesca o que popularmente o povo chamou de ‘acordão’, mais de 18 partidos, enfrentado figuras políticas como invencíveis, como imbatíveis, uma aliança que reuniu as forças, do ponto de vista político, mais tradicionais, mais poderosas do Rio Grande do Norte, todos os ex-governadores praticamente a classe política toda lá, um aparato financeiro grande, aparato midiático. As pessoas diziam, Fátima isso é uma luta muito desigual, mas, enfim, ouvi o sentimento popular e eu disse que o que me alimentava de enfrentar esse desafio era a esperança que eu tinha que a minha candidatura galvanizasse o sentimento popular e isso aconteceu”, disse a petista, ressaltando o papel fundamental da juventude, tendo à frente os estudantes do IFRN, da Universidade e nem geral.
Fátima destacou, por fim, disputar o Senado foi luta desafiadora. “Não tenho nenhuma dúvida que essa foi a luta mais difícil, a campanha que mais vai me marcar e as lições que ela deixou, porque eu cheguei, foi eleita senadora porque o povo do Rio Grande do Norte imprimiu um protagonismo político a esta luta, dando uma lição de coragem, uma lição de ousadia e resistência”, afirmou, destacando, ainda, a participação de Robinson Farias e a aliança com PSD e o PCdoB, que tem como candidato a vice-governador o deputado estadual Fábio Dantas. “Essa aliança foi fundamental, muito importante para chegarmos aonde chegamos. Robinson foi subestimado, foi desacreditado, diziam que Robinson não chegaria ao primeiro turno. Aliás, diziam que ele não teria coragem nem de ser candidato. Quero colocar aqui que o PSD no plano nacional é nosso parceiro e em nenhum momento vacilou na defesa do apoio na reeleição da presidenta Dilma, seja quando ela tivesse em uma condição mais confortável, ou menos confortável”, destacou.

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

AÉCIO LIDERA COM NOVE PONTOS DE VANTAGEM SOBRE DILMA.

Pesquisa ISTOÉ/Sensus mostra que o candidato do PSDB chega à reta final da campanha com 54,6% das intenções de voto, enquanto a petista soma 45,4%.

Pesquisa ISTOÉ/Sensus realizada a partir da terça-feira 21 reafirma a liderança de Aécio Neves (PSDB) sobre a petista Dilma Rousseff nos últimos dias da disputa pela sucessão presidencial. Segundo o levantamento que entrevistou 2 mil eleitores de 24 Estados, o tucano soma 54,6% dos votos válidos, contra 45,4% obtidos pela presidenta Dilma Rousseff. Uma diferença de 9,2 pontos percentuais, o que equivale a aproximadamente 12,8 milhões de votos. A pesquisa também constatou que a dois dias das eleições 11,9% do eleitorado ainda não decidiu em quem votar. “Como no primeiro turno, deverá haver uma grande movimentação do eleitor no próprio dia da votação”, afirma Ricardo Guedes, diretor do Instituto Sensus. Se for considerado o número total de votos, a pesquisa indica que Aécio conta com o apoio de 48,1% do eleitorado e a candidata do PT 40%.
De acordo com Guedes, a pesquisa realizada em cinco regiões do País e em 136 municípios revela que o índice de rejeição à candidatura de Dilma Rousseff se mantém bastante elevado para quem disputa. 44,2% dos eleitores afirmaram que não votariam na presidenta de forma alguma. A rejeição contra o tucano Aécio Neves é de 33,7%. Segundo o diretor do Sensus, a taxa de rejeição pode indicar a capacidade de crescimento de cada um dos candidatos. Quanto maior a rejeição, menor a possibilidade de crescimento. Outro indicador apurado pela pesquisa Istoé/Sensus diz respeito á votação espontânea, quando nenhum nome é apresentado para o entrevistado. Nessa situação, Aécio também está à frente de Dilma, embora a petista esteja ocupando a Presidência da República desde janeiro de 2011. O tucano é citado espontaneamente por 47,8% dos eleitores e a petista por 39,4%. 0,2% citaram outros nomes e 12,8% disseram estar indecisos ou dispostos a votar em branco.
Para conquistar os indecisos as duas campanhas apostam as últimas fichas nos principais colégios eleitorais do País: São Paulo, Minas e Rio de Janeiro. O objetivo do PSDB e ampliar a vantagem obtida em São Paulo no primeiro turno e procurar virar o jogo em Minas e no Rio. Em São Paulo, Aécio intensificou a campanha de rua, com a participação constante do governador reeleito, Geraldo Alckmin, e do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso. De acordo com as pesquisas realizadas pelo comando da campanha de Aécio, em Minas o tucano já estaria na frente de Dilma e a vantagem veio aumentando dia a dia na última semana. Processo semelhante ocorreu em Pernambuco, depois de Aécio receber o apoio explícito da família de Eduardo Campos e do governador eleito, Paulo Câmara. Os mesmos levantamentos indicam que no Rio de Janeiro a candidatura do senador mineiro vem crescendo, mas ainda não ultrapassou a presidenta. Para reverter esse quadro, Aécio aposta no apoio de lideranças locais, basicamente de Romário, senador eleito pelo PSB, que deverá acompanhá-lo nos últimos atos de campanha. Para consolidar a liderança, Aécio tem usado os últimos programas no horário eleitoral gratuito para apresentar-se ao eleitor como o candidato da mudança contra o PT. Isso porque, as pesquisas internas mostram a maior parte do eleitor brasileiro se manifesta com o desejo de tirar o partido do governo.
No comando petista, embora não haja um consenso sobre qual a melhor opção a ser colocada em prática nos dois últimos dias de campanha, a ordem inicial é a de continuar a apostar na estratégia de desconstrução do adversário. Nas duas últimas semanas, o que se constatou é que, ao invés de usar parlamentares eleitos para esse tipo de ação – como costumava fazer o partido em eleições passadas -- os petistas escalaram suas principais lideranças para a missão, inclusive o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e a própria candidata. Os petistas apostam no problema da falta d’água para tirar votos de Aécio em São Paulo e numa maior presença de Dilma em Minas para procurar se manter á frente do tucano no Estado.

PESQUISA ISTOÉ/Sensus
Realização – Sensus
Registro na Justiça Eleitoral – BR-01166/2014
Entrevistas – 2.000, em cinco regiões, 24 estados e 136 municípios do País
Metodologia – Cotas para sexo, idade, escolaridade, renda e urbano e rural
Campo – De 21 a 24 de outubro
Margem de erro - +/- 2,2%
Confiança – 95%

Robinson votará às 10h na Escola Doméstica

robinson voto
O candidato ao Governo do Estado pela coligação Liderados pelo Povo, Robinson Faria (PSD) votará às 10h do próximo domingo (26) na Escola Doméstica, em Natal. Como no primeiro turno, Robinson votará ao lado da família, da senadora eleita Fátima Bezerra (PT) e do candidato a vice-governador Fábio Dantas (PCdoB). Após a votação (na seção 401 da 1ª zona eleitoral) Robinson irá percorrer colégios eleitorais da capital e do interior do Rio Grande do Norte e acompanhará a apuração dos votos em casa, ao lado de familiares e correligionários.

Henrique reage a Lula: “pediu voto para um sujeito que ele nunca viu na vida”

Nesta quinta-feira (23) após um evento de campanha na cidade de São Gonçalo do Amarante o candidato do PMDB ao governo, Henrique Alves, criticou o ex-presidente Lula e externou mágoa com o PT e a presidente Dilma.
Henrique Eduardo Alves queixa-se do ex-presidente ter gravado um depoimento em apoio ao seu adversário Robinson Faria (PSD). “Olhem como a política também tem suas injustiças”, afirmou Alves, na noite da última quarta (22), em comício na cidade. “Eu vejo agora, para minha tristeza, o presidente Lula na televisão pedindo votos a governador para um sujeito que ele nunca viu na vida dele”, completou.

Candidatos ao governo do RN encerram campanha com carreatas e caminhadas

A dois dias do segundo turno, os candidatos ao governo do Rio Grande do Norte estão com agenda cheia hoje (24), com carreatas e caminhadas em Natal e municípios vizinhos, entre eles Macaíba. Para garantir a eleição, Henrique Alves (PMDB) e Robinson Faria (PSD) buscam votos de pelo menos 609 mil eleitores que, no primeiro turno, votaram em branco, nulo ou em um dos outros três candidatos.
henrique-x-robinson
Henrique Alves venceu o primeiro turno, com 702,2 mil votos (47,3% dos votos válidos), enquanto Robinson Faria conquistou 623,6 mil votos (42%), uma diferença de apenas 78,6 mil votos. Dados do Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Norte indicam que 391,5 mil eleitores não votaram no primeiro turno. Conforme a legislação eleitoral, eles estão aptos a votar no segundo turno.
Apesar das carreatas e caminhadas dos candidatos, há pouca movimentação de eleitores e cabos eleitorais em Natal. Quase não se percebe o clima de disputa eleitoral no centro da capital, município de São Gonçalo do Amarante e bairros do Alecrim e de Ponta Negra. No domingo (26), 2,3 milhões de eleitores votarão em 6.961 seções eleitorais, distribuídas por 167 municípios. Os dois candidatos são formados em direito e têm longa experiência política.
Potiguar, de 55 anos, Robinson Faria foi deputado estadual por seis mandatos. Elegeu-se vice-governador em 2010, rompendo com a administração oito meses após a posse. Presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Alves, carioca, 65 anos, cumpre seu 11º mandato consecutivo como deputado federal.
O eleito substituirá a governadora Rosalba Ciarlini, que ocupa o cargo desde 2010. O Rio Grande do Norte tem 3,4 milhões de habitantes. Como o estado não participa do horário de verão, a eleição começará às 9h, no horário de Brasília (8h no horário local). Os resultados de governador começam a ser divulgados às 17h30.

Folha de S. Paulo: de favorito a azarão nas eleições, Henrique se queixa de Lula por pedir votos para Robinson

A Folha de S. Paulo destaca hoje (24), a situação das eleições no Rio Grande do Norte, dizendo que o candidato a governador Henrique Alves (PMDB), passou de favorito a azarão, e que Henrique já escolheu o culpado por uma eventual derrota nas urnas: o ex-presidente Lula. Deputado a 44 anos, o candidato do PMDB não se conforma com o vídeo gravado por Lula, dizendo que ele foi injusto e ver com tristeza, ele pedir votos para seu rival - Robinson Faria (PSD) - já na reta final do 1º turno, quando o peemedebista liderava e sonhava com uma vitória já nessa etapa.
Clique Aqui e veja à matéria da Folha de S. Paulo na integra.

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Debate de hoje poderá ser decisivo para Henrique ou Robinson

intertvOs comícios e as carreatas estão acabando. Estamos chegando ao final de uma campanha política cujo resultado vai depender do desempenho até o próximo domingo (26) dos dois candidatos: Henrique Eduardo Alves e Robinson Faria.
O debate que vai ser realizado hoje, nos estúdios da Inter TV Cabugi, os dois candidatos poderá ser decisivo. Dependendo do desempenho, poderão ganhar ou perder a eleição.
Henrique e Robinson precisam conquistar os votos dos indecisos.

Operação Judas: desembargadores começam a ser julgados

Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, começam a ser julgados. Os dois ainda não prestaram depoimento ao juiz Ivanaldo Bezerra, titular da 8ª Vara Criminal de Natal, mais os desembargadores aposentados Rafael Godeiro e Osvaldo Cruz, réus no processo sobre a fraude mais cinco testemunhas já prestaram esclarecimentos como testemunhas do caso, durante a quarta-feira (22). Estão previstos mais três oitivas nos próximos dois meses.
Osvaldo Cruz e Rafael Godeiro começam a ser julgados por suposta participação em desvio de recursos no TJRN
Osvaldo Cruz e Rafael Godeiro começam a ser julgados por suposta participação em desvio de recursos no TJRN
Rafael Godeiro e Osvaldo Cruz são apontados como beneficiários do esquema investigado na Operação Judas, onde a ex-chefe da Divisão de Precatórios, Carla Ubarana, desviava e supostamente rateava o dinheiro do setor entre ela e os dois desembargadores. Ubarana e o marido, George Leal, são réus confessos já foram condenados. Por outro lado, os dois desembargadores aposentados negam a autoria dos crimes e que fossem beneficiados com o desvio do dinheiro.

Além de Carla Ubarana, também prestaram depoimento ontem George Leal e três pessoas apontadas como "laranjas" no esquema fraudulento: Carlos Alberto Fasanaro, Cláudia Sueli da Silva de Oliveira e Carlos Eduardo Cabral Palhares. Todos negam que tenham sido beneficiados pelo esquema.

Nas oitivas, Carla Ubarana e George Leal, que foram beneficiados por um acordo de delação premiada, reafirmaram que os desembargadores eram beneficiários e responderam a questionamentos de membros do Ministério Público, além dos advogados de defesa dos desembargadores.
Apesar das acusações, os desembargadores permanecem em liberdade e deverão ser ouvidos pela Justiça após os depoimentos das testemunhas. Mais três audiências estão definidas pela Justiça. 

No dia 3 de novembro, às 9h, serão ouvidas três testemunhas de acusação. No mesmo dia, às 14h, será ouvido o juiz Luiz Alberto Dantas e, no dia 2 de dezembro, às 9h, o desembargador aposentado Caio Alencar. 

Alencar e o ex-juiz auxiliar da Presidência do TJ Luiz Alberto Dantas foram os responsáveis pela investigação interna no Judiciário sobre as fraudes na Divisão de Precatórios e, nos depoimentos, vão expor o que foi encontrado durante a investigação. http://tribunadonorte.com.br/

DÁ PRA ACREDITAR NA COERÊNCIA DESTES POLÍTICOS?

Wilma que é do PSB que apoiou Marina Silva para presidenta da República no primeiro turno, agora é Aécio Neves desde criancinha. Agripino Maia, que detonou a candidatura a reeleição de Rosalba Ciarlini, única governadora do DEM no país, para apoiar a candidatura do presidente da Câmara, Henrique Alves (PMDB), ao governo do estado. Rogério Marinho, que um dia foi “socialista” e que deixou o PSB falando poucas e boas de Wilma de Faria, agora está lado a lado com a socialista para apoiar o neto de Tancredo à Presidência da República. Henrique Alves, este não se pronuncia sobre quem está apoiando se Dilma Ruossseff ou Aécio Neves, mas faz questão de dizer que é amigo do tucano.O seu partido a nível nacional, como de hábito, tem um pé num palanque e um pé noutro palanque.
Fato é que a incoerência no Rio Grande do Norte, por parte dos caciques da política papa-jerimum, nunca foi tão forte quanto nestas eleições. Talvez aí esteja um dos grandes erros da estratégia montada no palanque do acordão para eleger Henrique Alves governador. Wilma, por exemplo: com quantos candidatos ela já esteve desde antes mesmo de começar a eleição (clique aqui para ver)? Já pousou abraçada com a presidenta Dilma Ruossseff, já pousou abraçada com Eduardo Campos, morto em acidente de avião, e agora sobe no palanque tucano. É dona Wilma, o resultado disso a senhora amargou no primeiro turno, perdendo a eleição para o Senado para a sua principal opositora, a deputada federal Fátima Bezerra (PT).
Pode não parecer, mais incoerência custa caro. O povo não é bobo e enxerga no palanque do acordão um jogo de interesses para beneficiar as oligarquias que mandam na política do Rio Grande do Norte há mais de 40 anos e querem se manter no poder. Mas, Mossoró, por exemplo, segundo maior colégio eleitoral do estado e conhecida como terra da liberdade, já demonstrou a insatisfação contra os conchavos de gabinetes montados desde Brasília para os diversos momentos que sugerem as conveniências.
Aliás, o palanque do acordão já vislumbra uma vitória do tucano Aécio Neves. Quando Henrique Alves fala que é o mais preparado para abrir portas em Brasília, seja Dilma reeleita presidenta da República, seja Aécio Neves eleito presidente, e quando Henrique Alves não se manifesta publicamente quem é o seu candidato (a), isso fica explícito.
Mas não só isso. Imagine, caro leitor, Aécio Neves sendo eleito presidente. Já se fala que o moribundo DEM está em vias de se fundir ao PSDB, para que os tucanos aumentem sua bancada no Congresso Nacional para dar a tal “governabilidade” a um eventual governo tucano. O PMDB, este, viria por osmose, o que é perfeitamente presumível. Aí, também já se vislumbra uma disputa entre o presidente de honra do PSDB no RN, Rogério Marinho, eleito deputado federal, e o senador José Agripino Maia, coordenador nacional da campanha tucana, para quem vai ficar com a sigla no Rio Grande do Norte.
Como se observa, o jogo de interesses políticos é grande no Rio Grande do Norte. Ah, ia esquecendo. Agripino alimenta ainda o sonho de se tornar ministro de Estado num eventual governo de Aécio Neves. Não duvido também que se Henrique perder a campanha e Aécio se eleger presidente, o peemedebista não seja contemplado com uma autarquia ou até mesmo um Ministério, dependendo do peso a ter o seu PMDB num, repito, hipotético governo tucano.
A conferir!
BLOG DO BARBOSA

DIA 26 DE OUTUBRO E NO PROXIMO DOMINGO

Dia 26 de Outobro é no proximo Domingo não se esqueça de fazer sua lição votando em ROBSON para Governador do RN seu nº é 55 vamos a vitória.

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Robinson realiza última caminhada em Mossoró

robinson mossoro
O candidato a governador Robinson Faria estará novamente em Mossoró nesta quarta-feira, 22, em grande caminhada pelas ruas da cidade ao lado do prefeito Francisco José Júnior e demais lideranças que apoiam as candidaturas da liberdade. A mobilização sai às 18h do campo de futebol Peixeirão, no Santo Antônio, que fica na rua Nicácia Costa de Araújo com a rua Tabelião A. Menescal.
Neste segundo turno, as campanhas de Robinson 55 e Dilma 13 ganharam dimensões ainda maiores e a expectativa é de ampliar ainda mais as vitórias no próximo dia 26. Robinson chega a Mossoró com muitas novidades, depois que sua campanha deu uma virada surpreendente, como mostrou a última pesquisa Ibope que o coloca oito pontos à frende de seu concorrente.

Pesquisa Certus/BlogdoBG confirma vitória de Robinson

robinson voto
Há quatro dias da eleição do segundo turno, o Instituto de Pesquisa Certus divulga pesquisa em que confirma a vitória do candidato Robinson Faria (PSD) na corrida eleitoral. A pesquisa divulgada nesta quarta-feira (22) no Blog do BG mostra que Robinson tem 51,54% dos votos e o segundo colocado Henrique Alves (PMDB) tem 48,44%. Em números absolutos, a pesquisa mostra uma vantagem de Robinson superior a 100 mil votos.
O levantamento da Certus Pesquisa e Consultoria foi feito entre 18, 19, 20 e 21 de outubro e entrevistou 1.510 eleitores em todo o RN. Para Robinson, a pesquisa retrata a vontade das pessoas que estão indo as ruas apoiar a campanha do 55. “A nossa caminhada cresce a cada dia no Rio Grande do Norte com apoio das pessoas simples, do homem do campo, do autônomo que quer ver seu Estado crescer e prosperar. É a verdade das ruas confirmando a vitória da convicção sobre a conveniência. Juntos, acreditamos em um RN melhor e vamos chegar lá!”, destaca Robinson. A pesquisa tem registro no TSE de Nº BR-01156/2014 e no TRE Nº RN-00045/2014. A Margem de erro é de 3% e o índice de confiabilidade é de 95%.
Assessoria de Comunicação de Robinson Faria

terça-feira, 21 de outubro de 2014

ZÉ DA CAÇAMBA CONFIRMA: É ROBINSON GOVERNADOR

O vereador José Soares de Araújo, mais conhecido como Zé da Caçamba, conversou com o blog e dirimiu qualquer dúvida que houvesse em torno do seu apoio neste segundo turno para a eleição do próximo governador do estado. "Eu voto em Robinson. Estou com ele desde o primeiro turno e seria uma falta de vergonha minha se eu mudasse agora. Fiquei com Robinson por causa do vice, Fábio Dantas, que desde quando ele é deputado, me da todo apoio no meu trabalho com o povo".
A dúvida surgiu desde quando o grupo da prefeita Robenice Ribeiro anunciou seu apoio à candidatura de Robinson. Como Zé sempre declara que onde Chagas Ribeiro está, ele não fica, criou-se todo este suspense em torno da sua posição.
"Conversei com Fábio e ele me disse que o compromisso é entre eu e ele. Quem veio depois que mostre resultado. A nossa parte (se referindo a ele e o PT), já fizemos".
Robinson Faria agora conta com o apoio das forças políticas mais expressivas de São Pedro. Além de Zé da Caçamba, do PT e do grupo do suplente de vereador Florêncio, aderiram ao candidato do PSD neste segundo turno, o ex-prefeito João de Deus (PSB) e a prefeita Robenice (PR) com seu marido, Chagas Ribeiro. Com isso, dos 9 vereadores, 7 estão com Robinson. Apenas uma parte do PMDB continua apoiando a candidatura de Henrique. http://www.jspnoticias.com/

GARIBALDI ALVES FILHO ADVERTE ALIADOS: “NÃO VAMOS MORRER DE VÉSPERA, QUE NEM PERU”

O ministro da Previdência, Garibaldi Filho (PMDB), se pronunciou sobre a pesquisa Ibope, que apontou “virada” de Robinson Faria (PSD) sobre Henrique Alves (PMDB) na disputa pelo governo do Estado neste segundo turno. Ele se disse “surpreso” com a pesquisa, mas conclamou a militância a “não morrer de véspera, que nem peru”, vez que a eleição ainda não estaria decidida. “O eleitor nosso não pode arriar a bandeira. O que posso dizer é que a eleição não está decidida. Só se decide depois do último voto depositado na urna”, afirmou o ex-governador, em entrevista ao jornal O Mossoroense, neste fim de semana.

“Não vamos nos deixar levar por esse sentimento. Nós vamos ganhar essa eleição se Deus quiser. Não vamos morrer de véspera, que nem peru”, disse o ministro, ao mencionar que não houve uma mudança substancial na campanha que justificasse a ultrapassagem de Robinson na preferência do eleitorado. “É como se o candidato adversário tivesse levado grande parte dos números de Robério Paulino e grande parte dos votos brancos e nulos”, admite.
Afirmando que, às vezes, institutos de reconhecida credibilidade, como o Ibope, erram, Garibaldi apelou para que o eleitor de Henrique não se abata. “Creio que as pesquisas às vezes cometem erros. Não estou afirmando categoricamente que a pesquisa está errada. Para dizer isso eu tenho que ter dados e eu não tenho condições de provar. Quero apenas advertir, no bom sentido. Primeiro, ao eleitor de Henrique Alves para que ele não leve a termo essa pesquisa. A eleição não vai ser decidida por uma pesquisa, não se abata”, declarou o ministro.
A pesquisa Ibope no segundo turno, divulgada na quarta-feira da semana passada, deu 54% das intenções de voto para Robinson, e 46% para Henrique. Diante das próprias reflexões, Garibaldi apelou para que o eleitor de Henrique não “arrie a bandeira”, mas faça como o próprio ministro, que, neste fim de semana, esteve em Mossoró fazendo campanha para o candidato dele.
“O eleitor de Henrique tem que ir à rua, como estou fazendo em Mossoró, rodando em busca do eleitor. O eleitor nosso não pode arriar a bandeira. Ele deve seguir dizendo ao indeciso que ele não pode se deixar levar por um sentimento de protesto. O que posso dizer é que a eleição não está decidida. Só se decide depois do último voto depositado na urna”, afirmou o ministro, ainda na entrevista à imprensa mossoroense.
JUSTIFICATIVA
Ao ser provocado a explicar a derrota de Henrique em municípios onde o peemedebista havia costurado apoios históricos tanto com governistas quanto com oposicionistas, caso de Assú e Pau dos Ferros, Garibaldi afirmou que a população, nesses locais, não assimilou bem a proposta de união de forças defendida pelo candidato. Para o ministro, ali, em vez de somar, houve subtração de votos.
“Eu acho que houve uma municipalização da eleição nesses municípios e, em face disso, as pessoas não assimilaram aquele entendimento proposto em termos altos pelo deputado Henrique Alves, de juntar esforços para evitar uma radicalização e pudessem somar votos para o projeto político de Henrique, que é o melhor. As pessoas entenderam que deveria prevalecer a radicalização. Não deixaram se convencer pelo discurso do deputado Henrique, fazendo com que houvesse certa confusão que fez com ele perdesse a eleição nessas cidades. A aritmética, em vez de somar, diminuiu”, constatou.
Ministro desiste de entregar cargo e de romper com o PT
Ainda em sua entrevista, Garibaldi voltou a criticar o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva por participar da campanha no rádio e na TV de Robinson Faria. Mesmo se aliando a José Agripino (DEM), principal adversário do PT no plano nacional, o ministro esperava que Lula ficasse neutro na campanha. Na semana passada, Garibaldi chegou a admitir, publicamente, que poderia entregar o cargo no Ministério da Previdência e romper com o PT. No entanto, na entrevista ao Mossoroense, o ex-governador disse que a posição seria uma atitude isolada que não teria repercussão.
“Houve uma preocupação grande. O ex-presidente Lula nos atropelou como aliados. Ignorou a nossa participação na campanha porque votamos em Dilma e fez a propaganda do adversário e isso gerou uma cobrança dos nossos correligionários. Não apenas dos peemedebistas, mas, dos outros partidos, porque a nossa coligação é muito ampla. Mas, é preciso ter cautela antes de uma atitude revanchista a ser tomada isoladamente que Henrique pudesse tomar em detrimento da candidatura de Michel Temer à Vice-Presidência. Isso levou a nós termos uma maior cautela a respeito dessa reação”, afirmou Garibaldi.
Instado a falar se o rompimento com o PT estava na ordem do dia, Garibaldi negou afirmando que o vice-presidente da República e companheiro de chapa de Dilma Rousseff, candidata do PT à reeleição, Michel Temer, conduziria os acertos políticos com a cúpula nacional do PT. “Não, no momento não; não passa. Não quero tomar uma atitude isolada que não teria nem essa repercussão toda. Isso deve ser examinado no plano nacional. É preciso aguardar que Michel Temer é candidato a vice-presidente”, disse o ministro.
JORNAL DE HOJE